Insecta Shoes

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Ainda existem Milagres !!!!

A sobrevivência das 155 pessoas que estavam no voo 1549 da US Airlines que fez um pouso forçado no Rio Hudson, em Nova York, foi "um milagre", segundo o governador do Estado, David Peterson. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, também elogiou a "perícia e o heroísmo" da tripulação do avião.
Em comunicado distribuído pela Casa Branca, Bush afirmou que supervisiona a situação e seu governo se mantém em contato com as autoridades estaduais e locais para responder ao acidente.
Bush informou que ele e a esposa, Laura, se sentem "encorajados com a perícia e o heroísmo da tripulação, assim como a dedicação e a abnegação das equipes de emergência e dos voluntários que resgataram os passageiros das águas geladas do Hudson".
— Enviamos nossos pensamentos e nossas orações a todos os envolvidos no acidente. Foi um milagre. Evitou-se um acidente que potencialmente poderia ter sido muito trágico — disse o governador de Nova York.
O Airbus A320, havia decolado do aeroporto de La Guardia com destino a Charlotte, na Carolina do Norte. Segundo testemunhas, houve uma explosão (possivelmente causada pelo choque com pássaros) logo após a decolagem, e menos de cinco minutos após sair do chão o avião já pousava na água, de forma estável.
Para os passageiros que sobreviveram ao susto, o piloto do avião teve uma atuação fundamental e heróica, garantindo a ausência de vítimas.
— De repente, o capitão nos disse para nos segurarmos. Ele fez um trabalho fantástico. Parabéns para ele pelo pouso — disse Jeff Kolodjay, um dos passageiros do avião, à rede de TV CNN.
— Já voei em muitos aviões, e este pouso foi fenomenal — disse o passageiro Fred Berretta, que estava sentado ao lado das turbinas na hora do acidente.
Segundo ele, um grande silêncio tomou o avião antes do pouso.



O herói
Segundo a CNN, o piloto Chelsey B. "Sully" Sullenberger estava no comando da aeronave. A mulher dele disse à TV que recebeu uma ligação dele após o acidente, e que o piloto estava tranqüilo. Segundo testemunhas, Sullenberger disse aos passageiros que havia perdido força nos motores e que não seria possível retornar ao aeroporto, por isso pousaria no rio.
O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, declarou que o piloto garantiu que todos os passageiros tinham sido resgatados antes de deixar a aeronave:
— Aparentemente ele fez um trabalho de mestre ao pousar no rio e garantir que todos saíssem do avião. Conversei longamente com ele, que garantiu ter checado toda a aeronave em busca de pessoas antes de sair do local.
Avião foi rebocado
Bloomberg disse que ainda é cedo para especular sobre as causas do acidente. O avião foi rebocado e vai ser analisado para que se descubra o que fez as turbinas pararem de funcionar.
O prefeito afirmou que nenhum passageiro teve ferimentos graves. Segundo a CNN, um dos principais problemas dos sobreviventes levados ao hospital era hipotermia por conta da baixa temperatura da água do rio. Com informações do site G1.



NOVA YORK - Nova York tem mais um herói. E digno dos maiores sucessos de Hollywood. Chelsey Sullenberger, conhecido como Sully, é o piloto do avião da US Airways que caiu no rio Hudson, na tarde desta quinta-feira em Nova York. Ele conseguiu fazer o avião avariado pousar nas águas do rio com 150 passageiros e mais cinco tripulantes a bordo sem provocar nenhuma morte.
Entrevistada pela rede CNN, a mulher de Sullenberger, Lori, disse que o marido ligou para ela logo após ser resgatado. "Estou em estado de choque. Eu não estava acompanhando o noticiário, até que ele me ligou. Sempre ouvi Sully falar com amigos de que era raro para um piloto ter um incidente em sua carreira. Quando ele me ligou e disse que havia ocorrido um acidente pensei que era algo menor, mas quando ele me contou as circunstâncias, meu corpo começou a tremer e fui rapidamente buscar minhas filhas na escola", contou.
Ex-piloto de caça da Força Aérea dos Estados Unidos, Sully tem mais de 40 anos de experiência em vôo. Segundo o Safety Reliability Methods, ele serviu como instrutor e diretor de segurança da associação de pilotos de vôo (ALPA, na sigla em inglês), investigador de desastres e membro do comitê técnico nacional. Participou de diversas investigações de desastres na Força Aérea americana e na Comissão Nacional de Segurança de Transporte (NTSB).
Seu trabalho em segurança levou à elaboração de um documento circular da Administração Federal da Aviação (FAA, na sigla em inglês). Em trabalho com cientistas da agência espacial Nasa, escreveu um documento sobre contextos que induzem a erros na aviação.
Sully participou do desenvolvimento e implementação da Gerência de Recursos de Equipe (CRM, em inglês), curso usado em sua linha aérea e lecionou para centenas de colegas. Ele se formou na Academia da Força Aérea americana, Universidade Purdue e na Universidade do Colorado do Norte.
O piloto foi palestrante em dois painéis da Conferência Internacional de Organizações de Alta Confiabilidade (HRO, em inglês), realizada em 2007 em Deauville, França. Ele recentemente foi nomeado acadêmico visitante na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

Sem comentários: