Insecta Shoes

terça-feira, outubro 18, 2011

Um dia - David Nicholls

Comecei a ler este livro no dia 13/10/2011 e acabei no dia 17/10/2011.

Podemos viver toda uma vida sem nos apercebermos de que aquilo que procuramos está mesmo à nossa frente.
15 de Julho de 1988. Emma e Dexter conhecem-se na noite em que acabam o curso. No dia seguinte, terão de seguir caminhos diferentes. Onde estarão daqui a um ano? E no ano depois desse? E em todos os anos que se seguirão? Vinte anos, duas pessoas, um DIA.




Críticas de imprensa
“Um livro simplesmente maravilhoso: inteligente, divertido, perspicaz, comovente, muitas vezes, insuportavelmente triste”.
The Times

“Este ano, terá dificuldade em encontrar uma comédia romântica tão acutilante e, ao mesmo tempo, tão delicada.”
The Independent

“Destinado a ser um clássico moderno.”
DailyMirror

“É raro encontrar um romance que aborde o passado recente de forma tão competente… É difícil encontrar personagens tão bem construídas como estas e não reconhecer o talento do escritor que as criou.”
The Guardian

David Nicholls nasceu em 1966 em Eastleigh, Hampshire. Estudou teatro antes de se dedicar a escrita. De entre os seus êxitos televisivos destacam-se a terceira série de Cold Feet, Rescue Me e I Saw You, bem como uma muito elogiada versão moderna de Much Ado About Nothing e uma adaptacao de Tess of the D’Ubervilles, ambas para a BBC. Para além de romances, David Nicholls escreve guiões para cinema e televisão, e já foi duas vezes nomeado para os prémios BAFTA. O seu primeiro romance e best-seller, Starter for Ten, foi seleccionado para o Richard and Judy Book Club em 2004 e adaptado para o cinema em 2006 (em Portugal com o nome Concurso Viciado). O argumento do filme foi escrito pelo próprio David Nicholls e a personagem principal foi interpretada por James McAvoy.




A minha Opinião:

É um romance que me provocou sentimentos de divertimento e alegria, mas por outro lado de tristeza, ao ponto de não quere pegar mais no livro.
Retrata muito bem a evolução da vida de dois amigos que passam por diferentes etapas e emoções no decorrer de 20 anos. Desde o momento que se conheceram no último da faculdade, passando pelos primeiros empregos, várias desilusões amorosas, casamentos, ferias em conjunto, fases menos boas da vida, mas um ponto em comum eles tinham-se um ao outro para conversar e desabafar.
Gosto da maneira como o escritor descreve as personagens, Emma quando termina a faculdade, por ter vindo da classe média é mais terra a terra, mais realista, têm que arranjar um emprego, tem que alugar um emprego, mesmo que não corresponda à área do curso dela, tem é que arranjar dinheiro para sobreviver. Não pensa em ser famosa, mas em trabalhar.
Por outro lado o Dexter é totalmente o oposto da Emma, quando termina o curso, só pensa em viajar durante um ano ou dois, à volta do mundo sem se preocupar com que dinheiro é que vai fazer isso. Emprego para ele tem que ser qualquer coisa fantástica, tem que soar a qualquer coisa muito aventureira e tem que ser famoso. E a sua vida amorosa não é estável, quer aproveitar ao máximo a vida, ter o maior numero de casos amorosos e experimentar todo o tipo de drogas e beber até não poder mais. Ser feliz e ter muitos amigos, estar sem na companhia de uma rapariga bonita. Mas este tipo de vida vai levar Dexter a pontos muito baixos da sua vida, ao perder o seu emprego como apresentador de televisão.
Mas como bem sabemos durante um período de 20 anos, as vidas dão grandes voltas e no caso de Emma e Dexter é isso mesmo que vai acontecer, é engraçado. O Dexter deixa de ser famoso e passa a trabalhar como ajudante de um restaurante e no caso de Emma, deixa de trabalhar como ajudante num restaurante e passa a ser famosa como escritora de livros juvenis.
E no decorrer de 20 anos este casal de amigos nunca deixaram de ser amigos e até acabam por ficar juntos durante um período muito feliz para ambos. Mas como a vida real não é um conto de fadas, não podia terminar como “viveram felizes para sempre.”, acontece um acidente a Emma e Dexter vai ter que aprender a refazer a sua vida sem a sua amiga de sempre.
Este romance deixa-me a pensar as coisas teriam acontecido de maneira diferente se quando se conheceram tivessem se dito coisas diferentes? Mas teriam eles vivido as suas vidas da maneira como viveram? Vê-se que Emma desde o início se apaixonou por Dexter e que ele também gostava dela. Mas penso que Dexter tinha que passar por varias fases da vida dele para se o quanto estava apaixonado por Emma.
Acho que já me alonguei demais e espero não ter contado muito da historia, aconselho este livro, é encantador.

1 comentário:

VeraSopa disse...

Vou ler esse livro em breve e estou com razoáveis expectativas sobre ele.

http://lerprazeradquirido.blogspot.com/