Insecta Shoes

quarta-feira, março 23, 2011

Terra da Neve - Yasunari Kawabata

Comecei a ler este livro no dia 21/03/2011 e acabei no dia 22/03/2011.

Terra de Neve é a história de um amor de perdição passado no meio da desolada beleza da costa oeste do Japão, uma das regiões mais nevosas do mundo. É aí, numas termas isoladas de montanha, que o sofisticado Shimamura conhece a geisha Komako, que se entrega a ele sem remorsos, sabendo de antemão que a sua paixão não pode perdurar.



Yasunari Kawabata (Osaka, 11 de Junho de 1899 — Zuschi, 16 de Abril de 1972) foi um escritor japonês.

Foi o primeiro japonês a ser laureado com o Nobel de Literatura, em 1968.

Enquanto criança, Kawabata desejava tornar-se pintor, mas optou por se tornar escritor após publicar alguns contos durante o tempo em que frequentava o liceu.

Ainda jovem foi marcado por acontecimentos trágicos e pela solidão, ficando órfão com três anos, passando então a ser criado pelos avós, no campo. Perdeu a avó com apenas sete anos, a única irmã com nove anos e o avô com catorze.



Em 1920, ingressou na Universidade Imperial de Tóquio. Em 1921, fundou a revista Xin-Xicho (Pensamento Novo),e juntamente com Yokimitsu Riichi, fundou um jornal de letras – Bungei Jidai (Anais Literários) – que ajudava a promover um novo movimento literário, o Xinkankakuha (Sensações Literárias) que, segundo Kawabata e Yokomitsu, tinha como principais preocupações a apresentação de "novas sensações" na literatura, considerando a arte pura como missão primordial do escritor. Nessa revista publicou, em 1926, Izu no Odoriko ("A Dançarina de Izu"), uma história que explorava o erotismo do amor juvenil, com imagens líricas inspiradas em escrituras budistas e poetas medievais japoneses. Iniciara, porém, sua carreira como escritor com narrativas breves, mais tarde denominadas Tanagokoro no shôsetsu ("Contos da Palma da Mão"), hoje considerado um gênero típico de Kawabata.

Em 1931, já casado, mudou-se para Kamakura, antiga capital dos samurais, ao norte de Tóquio. O seu primeiro romance foi Yukiguni ("Terra de Neve" em Portugal e "O país das neves" no Brasil), começado em 1934 e publicado gradualmente de 1935 a 1937. Relata a história de amor entre um homem diletante da cidade de Tóquio e uma gueixa de uma povoação remota onde este encontra um refúgio do stress da sua vida citadina. Este romance colocou Kawabata imediatamente na posição de um dos escritores japoneses mais importantes e promissores, tornando-se o romance num clássico instantâneo que é, hoje, considerado uma das suas mais importantes obras-primas.

Apesar de, durante a Segunda Guerra Mundial, ter permanecido neutro, após o final da guerra, no fim dos anos sessenta, engajou-se em manifestações políticas, participou de campanhas de candidatos conservadores e condenou a Revolução Cultural chinesa. Iniciou em 1949 a série "Mil Garças", em que constam o célebre Senbazuru("Nuvens de Pássaros Brancos"), e Yama no Oto ("O Som da Montanha").

Outras obras suas são Nemurero Bijo ("A Casa das Belas Adormecidas"), Utsukushisa to Kanashimi to ("Beleza e Tristeza") e Koto ("Kyoto" em Portugal). No entanto o romance que Kawabata considerava ser o seu melhor foi Meijin, publicado entre 1951 e 1954.

Kawabata foi ainda membro da Academia Imperial e presidente do Pen Club do Japão, atuando em várias reuniões internacionais de escritores.

Ao receber o Nobel de Literatura de 1968, em seu discurso condenou o suicídio, lembrando vários amigos escritores que haviam morrido dessa forma. Em 1972, porém, em meio a um surto depressivo suicidou-se, em Zushi, perto de Yokohama.

1 comentário:

Carminho disse...

Comecei hoje a lê-lo. Obrigada pela descrição do livro e do autor. Aumentou ainda mais a minha vontade de o ler.bjs