Insecta Shoes

quinta-feira, março 21, 2013

A um Passo da Felicidade - Giorgio Nardone

O amor é um dos temas que mais tem inspirado a humanidade. Da literatura ao cinema, passando pela psicoterapia, são diversas as áreas que reflectem sobre o amor nas diferentes manifestações. Diz-se que as mulheres teorizam demasiado sobre as relações amorosas e que, por isso, complicam o que é simples. Giorgio Nardone, um dos mais conceituados psicoterapeutas italianos, defende que, nas relações amorosas, e principalmente nas que fracassam, as mulheres têm tendência para interpretar sempre o mesmo papel, persistindo, assim, no erro.
Inspirado pela literatura e pelos mitos históricos, Nardone apresenta guiões nos quais podemos encaixar o comportamento das mulheres com o sexo oposto. Da camaleónica à fada, passando pela executiva, pela enfermeira ou pela bruxa, o autor identifica as principais personagens que as mulheres interpretam no amor e de que modo conduzem, invariavelmente, ao fracasso das relações.
Escrito de forma divertida e bem-humorada - já que aqui o psicoterapeuta é, sobretudo um homem, marido, amigo, confidente -, este livro apresenta-nos ainda histórias reais de mulheres que personificam os guiões apresentados e avança com soluções muito simples para que possamos viver um amor pleno. Com autoconhecimento e pequenas mudanças, as relações felizes são mesmo uma possibilidade.

«Um livro muito agradável, escrito por alguém que tem uma larga experiência a ouvir homens e mulheres nas suas aventuras de desventuras amorosas.» José Gameiro, psiquiatra in prefácio

A minha opinião:

Um livro pequeno e leve, que se lê muito bem. Está muito bem estruturado e organizado, ou seja, por 17 Guiões, um por cada tipo de mulher. (A fada, A procura do príncipe azul, A bela adormecida, A beijadora de sapos, A sedutora, A amazona, A camaleónica, A bruxa, A predadora, A enfermeira de serviço, A transbordante, A moralista, A executiva, A timoneira, A navio escola¸ A lambe feridas e A Penélope).
Conseguimos até achar alguma piada na forma como escrever as várias histórias. Mas no final quase parecem ser sempre histórias com finais infelizes, o que acontece pois os comportamentos dessas mulheres não são os mais corretos, o que levam por consequência ter relações com finais terríveis e o oposto dos finais cor-de-rosa.
Como conclusão o escritor tenta mostrar aos leitores, que para conseguirem um relacionamento mais feliz, tem que tentar mudar os seus comportamentos e formas de ser e de como vivem as relações. Não esperem a resposta para o problema das vossas relações amorosas, mas conselhos para tentarem utilizar as características das várias mulheres-guião, que são descritas no livro.
O escritor também faz referência a três aspetos que todas as relações/casais devem ter, para se manter uma relação saudável: o cortejo, a cumplicidade e exclusividade.

quarta-feira, março 20, 2013

Em parte Incerta

O casamento pode dar cabo de uma pessoa…
Uma manhã de verão no Missouri. Nick e Amy celebram o quinto aniversário de casamento. Enquanto se fazem reservas e embrulham presentes, a bela Amy desaparece. E quando Nick começa a ler o diário da mulher, descobre coisas verdadeiramente inesperadas…
Com a pressão da polícia e dos media, Nick começa a desenrolar um rol de mentiras, falsidades e comportamentos pouco adequados. Mostra-se evasivo, é verdade, e amargo – mas será mesmo um assassino?
Entretanto, todos os casais da cidade se perguntam já se conhecem de facto a pessoa que amam. Nick, apoiado pela gémea Margo, assegura que é inocente. A questão é que, se não foi ele, onde está a sua mulher? E o que estaria dentro daquela caixa de prata escondida atrás do armário de Amy?
Com uma escrita incisiva e a sua habitual perspicácia psicológica, Gillian Flynn dá vida a um thriller rápido e muito negro que confirma o seu estatuto de uma das melhores escritoras do género.
Em Parte Incerta
não é só um thriller é também um retrato da vida privada e comum nos Estados Unidos hoje, o quadro de uma época: desemprego, casas hipotecadas, a dificuldade em manter um casamento nos dias que correm, a relação entre irmãos, pais e filhos, noras e genros e sogros.

«O retrato de um casamento tão aterrador e hilariante que o vai fazer pensar em quem é de facto a pessoa no outro lado da sua cama.» Time


A minha opinião:

Este livro está muito bem estruturado e muito bem escrito. As personagens são o mais importante em todo este enredo.
Um emareado de pensamentos, ações, ir ao mais funda das relações humanas, dos nossos pensamentos, as nossas emoções. E facto de pensarmos nas nossas ações com vários interesses por trás. Saber o que as outras pensam e sobre o que eles julgam das nossas ações.
As pessoas são umas falsas, aparentam ser uma pessoa que não são. O facto de na nossa sociedade temos que fingir ser outra pessoa, temos que ser perfeitos “perfeitos”.

Existe um ditado que diz : “A mulher de César ... além de ser séria tem de o parecer. Ou seja, o casamento entre Amy e Nick, estes tinham que perante a sociedade aparentar ter um casamento perfeito, mas no fundo não era nada verdade.

 

A personagem da Amy está muito bem construída, na primeira parte do livro, quando apareciam as entradas do diário dela, levaram-nos a pensar que o que ela esta a escrever era a verdade e começamos imediatamente a fazer acusações e suposições que o seu marido realmente era um canalha, um insensível possível de cometer um crime e conseguir oculta-lo até da policia… mas não que toda a história leva uma reviravolta de 180º.
O que nos leva a ficar presos no enredo e tentarmos descobrir até que ponto a sua “santa”, “bonita”, “incrível” esposa é capaz de ir para o incriminar de um crime que ele não cometeu.
Todas as provas, todas as pistas deixadas por ela, a antecedência com que ela conseguiu pensar e preparar as coisas para que tudo acontecesse como ela queria. “INCRIVEL!!!”.
Existe uma frase da Amy no livro que mostra como ela é possessiva. “…o meu novo Nick. Nick que me vai amar, honrar e obedecer.” Aqui acho que está tudo explicado, ela quer o amor de uma pessoa, mas essa pessoa tem que ser tão submissa até ao ponto de ter que lhe obedecer. Uma relação muito doentia. Amy é uma pessoa extremamente doente e doentia.

Recomendo, um bom livro de suspense e um bom policial.

quinta-feira, março 14, 2013

A Lenda de Sapphique - Catherine Fisher


Ele foi o único que escapou. Agora tem o poder de os salvar… ou destruir.
Finn conseguiu fugir de Incarceron, a terrível prisão viva e o único lar de que tem memória, mas a liberdade está longe de ser o que imaginava… Cláudia acredita que, se Finn reclamar o direito ao trono do Reino, será capaz de libertar Keiro da temível prisão; mas o Exterior não é o paraíso idílico com que Finn sonhava e o jovem vê-se subitamente prisioneiro de um obscuro jogo de intrigas e mentiras, que adia os seus planos.
Entretanto, na obscuridade de Incarceron, os prisioneiros falam de um homem lendário – Sapphique, o único que conhece os segredos e o único capaz de destruir a prisão. São inúmeras as histórias sobre as suas façanhas, mas haverá alguma verdade nelas? Será que ele existe mesmo?
Dentro e fora, todos aspiram à liberdade… como Sapphique.

Este é o segundo e último volume da saga iniciada com Incarceron que pode consultar no Segredo dos Livros.

A minha opinião:
O que posso dizer sobre este segundo volume... É um livro interessante, muito bem escrito, com personagens bem estruturadas e de peso. Mas o enredo desta coleção é tão complicado, um mundo que não é real.. onde tudo o que existe nesse mundo foi imaginado / fantasiado.

Uma prisão que cabe um pequeno cubo que cabe na palma da nossa mão, mas uma prisão que tem sentimentos.. e que tudo dentro dessa prisão pode ser alterado por caprichos.

Ficamos no final com um sentimento que a ilusão desapareceu, que agora o que existe é só a realidade. O que é necessário para poder Fugir da prisão? Será que a liberdade não em si também uma prisão?

É para mim complicado sem explicar muito do que se passa no enredo do livro, explicar o que é realidade e o que é ficção, mas a prisão nunca deixa ninguém fugir, sem ter alguém em compensação.

Gostei do que a escritora incluiu no livro, fala-nos de um livro de recortes, que se encontra na prisão, e esse faz referência a histórias infantis clássicas, como é o caso da história do Pinóquio (um boneco de madeira, que quer ganhar vida) e a história dos irmãos Hansel & Gretel.

Num livro de fantasia moderna, fazer referencia a contos clássicos da nossa infância é bastante engraçado.

segunda-feira, março 11, 2013

O Mistério das Coisas Erradas - Fátima Marinho

A crónica serve de âncora a relatos sobre a infância. Relatos fiéis cuja crueldade e, às vezes, a ternura ferem até as palavras. São memórias da infância captadas pela surpresa de quem guarda muitas crianças por dentro e à flor da pele. O quotidiano escolar serve de chão ao desafio de espreitar o mundo infinitamente sábio da meninice.

Os direitos autorais desta obra foram integralmente cedidos à Fundação do Gil. Ao comprar, está a ajudar. O Segredo dos Livros, com a sua divulgação, também já está a colaborar.

O livro em papel vem acompanhado de 2 CD's com sua gravação em Áudio Livro.

"Fátima Marinho junta-se à Fundação do Gil com "O mistério das coisas erradas", um mistério que também nos trespassa, um pressuposto igualmente comum na melhoria da vida de todas as crianças.
Sensibilidade e profundidade. A inspiração, bem como realidades menos felizes, são alguns dos ingredientes constantes na obra de Fátima Marinho. Aprendemos a olhar para o lado menos risonho, dando-nos conta da necessidade de reinventar apoios e atenção permanentes às crianças, para podermos um dia fazê-las olhar para o lado mais colorido da vida."
Fundação do Gil

A minha opinão:

Foi o primeiro livro que li da escritora Fatima Marinho. É uma compilação de pequenas grandes histórias. Histórias sobre atrocidades da nossa sociedade, mas sempre com uma mensagem de esperança. Histórias que nos tocam, porque são tristes, porque sabemos que são verdadeiras. Mas conseguimos ver como todas estas crianças são especiais e que lhes devíamos dar toda a nossa atenção, carinho, amor e compreensão.

Um livro que devia de ser lido por pais, avós, amigos, irmãos, educadores de infância, professores, para verem como as crianças são especiais e não “portadoras de uma deficiência” (espero não estar a ser ofensiva com ninguém).

Sei que as crianças “especiais”, precisam de atenção, apoio, carinho e amor de toda a família (em especial) e de apoio de instituições específicas. Pois só com esse apoio e atenção diária, falar com as crianças é muito importante e é uma coisa tão simples, as crianças conseguem crescer e desenvolver a sua capacidade de interação e de comunicação com os adultos.

 

Eu Cómico - James Patterson e Chris Grabenstein

Olá! Eu sou o Jamie Grimm e faço piadas có-có-cómicas - sentado na minha cadeira de rodas!
Este ano, resolvi meter-me numa missão louca e quase impensável: vencer o concurso «O Miúdo Mais Cómico do Mundo». E haverá melhor forma de ir treinando do que provocar gargalhadas nos outros? As cobaias são a minha família de totós (que não sabem o que é rir), o meu tio e os clientes do seu restaurante (eles são bué cómicos!), o bully da escola (que por acaso vive em minha casa…) e uma pessoa maravilhosa, a quem chamo "a Miúda Fixe".
Será que eles me vão ajudar a vencer? Pega neste livro, e parte o coco a rir!




A minha opinião:

Um livro bem divertido e leve... lê-se muito bem.

Este escritor (James Patterson) já eu conhecia de outros géneros literários (policiais) e adorava. Também tinha lido um livro deste escritor da série "Escola" e também havia gostado bastante.
Nesta nova coleção, "Eu cómico", fala-nos sobre um adolescente que tem um sentido de humor muito apurado... mas que, mesmo com as dificuldades por que já passou (não vou contar aqui, senão estrago a vossa leitura), ainda consegue ser um "tipo" bem disposto, mesmo com a sua cadeira de rodas.
Fala-nos de assuntos como o bully na escola e da maneira de lidar com isso, fala-nos da sua insegurança com as raparigas e da falta de confiança em si mesmo... e conta como utiliza o humor para ultrapassar todas essas situações. O Jamie é um cómico, que vê o mundo de uma maneira muito especial. Quem me dera que muitas pessoas fossem só um bocadinho parecidas com ele... e de certeza que o mundo seria muito melhor (ou pelo menos mais divertido).
Frases de que eu gostei:
"O cume é um lugar solitário (especialmente se pisaste os amigos para lá chegar)"
"Rir é o melhor remédio"
"Mantenham viva a esperança. E também a sua irmã, a fé."

sexta-feira, março 08, 2013

Profundo como o Mar - Jacquelyn Mitchard

"Bastou apenas um instante para que, naquele irrequieto átrio de hotel onde Beth iria rever os seus ex-colegas de liceu, Ben, o seu filho de três anos de idade, largasse a mão do irmão mais velho e desaparecesse sem deixar um único rasto visível. A sua ausência viria a fecundar com sementes de disfuncionalidade um terreno familiar aparentemente banal, votando todos os seus elementos a uma profunda agonia. Até que um dia, nove anos depois do desaparecimento, toda a família é obrigada a enfrentar um novo choque…"

Lusitânia - Vários Escritores

Uma publicação de ficção especulativa com base na cultura portuguesa.
Nela podemos encontrar os contos:

Como Portugal foi salvo pelos Pastéis de Nata - de Catarina Lima
Vinho Fino - de Inês Montenegro
A Cidade das Luzes - de José Pedro Lopes
Sonhos numa noite de Natal - de Marcelina Leandro
A Guerra do Fogo - Nuno Almeida
A Passagem Uivante - de Pedro Cipriano

O Homem que Amava demais - Elizabete Cruz

Quando Inês assiste à morte do namorado, Carlos, não imagina que a sua vida está prestes a mudar. Incumbida da missão de encontrar o pai dele, que ele nunca conhecera, a sua pesquisa leva-a até Pirenópolis, a uma comunidade hippie. Lá conhece Dean Silva, meio-irmão de Carlos, que por lá habita desde que a sua namorada, Abby, foi declarada como morta. Juntos partem então para a Califórnia, em busca do pai de Carlos, e o caminho leva-os a descobrir sentimentos que julgavam já nem sequer possuir. No entanto, o passado de Dean está à espreita, e Henry, seu irmão, não deixará que ele se desvaneça. Tudo porque ele quer construir algo que a ele próprio transcende, e que sabe que sem a ajuda do irmão não conseguirá: a bomba de hidrogénio. Para isso, Henry fará de tudo para transformar Dean, inclusive incluir Inês nos seus planos diabólicos, encarcerando-a com os génios que farão o seu plano seguir em frente. Com Dean a seu lado e um caminho traçado, Henry acredita que nada o poderá desviar do seu destino. Mas ele engana-se, pois estranhamente todos aqueles que estão consigo começam a morrer, um por um, num local onde ele sabe que só ele consegue entrar e sair. O medo de ser a próxima vítima instala-se, e Inês embrenha-se numa busca pela verdade, o que a leva a descobrir que tudo o que ela sabe sobre Dean e Henry não passa de uma grande mentira.
Afinal, porque morreu Abby? Porque sequestrou Henry oito pessoas? E quem é o culpado pelas suas estranhas mortes?(