Insecta Shoes

quinta-feira, junho 30, 2011

Vamos Aprender a Cultivar

Li este livro no dia 30/06/2011.

Um livro repleto de projectos de jardinagem simples para jardins, pátios, terraços, etc., que ensina a criança a cultivar tomates deliciosos e morangos apetitosos, margaridas coloridas e plantas amigas dos animais. O livro apresenta actividades divertidas: a criança aprenderá a plantar os seus próprios ingredientes para uma pizza, a fazer um anel de fadas e a criar um jardim de vida selvagem.

O Beijo das Sombras - Richelle Mead

Comecei a ler este livro no dia 27/06/2011 e acabei no dia 29/06/2011



A Primavera chegou à Academia de São Vladimir, e Rose Hathaway está quase a graduar-se. Chegou também o momento em que Rose tem de lidar com os seus pensamentos cada vez mais sombrios, o seu comportamento errático, e pior que tudo, ela acha que anda a ver fantasmas... Tudo isto porque teve de matar os seus primeiros Strigoi.
E enquanto Rose põe em dúvida a sua própria sanidade mental, novas complicações se avizinham: Lissa recomeça as experiências com a sua magia, o seu inimigo Victor Dashkov pode ser posto em liberdade, e a relação proibida de Rose e Dimitri aquece mais uma vez. Mas quando uma ameaça mortal que ninguém podia prever transforma todo o seu mundo, Rose terá de arriscar a própria vida e escolher entre as duas pessoas que mais ama.



Richelle Mead é uma leitora voraz, fascinada por mitologia e folclore. Autora reconhecida tanto pelo público como pela crítica na área da fantasia urbana para adultos, esta sua nova série, Vampire Academy, encontra-se já publicada em todo o mundo, tendo alcançado os lugares cimeiros das listas de best-sellers internacionais.

terça-feira, junho 28, 2011

Meus Amigos e Meus Amores - Marc Lévy

Comecei a ler este livro no dia 23/06/2011 e acabei no dia 26/06/2011.



Mathias e Antoine são grandes amigos e ambos pais solteiros. Quando Mathias se muda de Paris para South Kensington, ele e Antoine encontram a solução perfeita para criarem os filhos num ambiente familiar: decidem viver juntos. Esta família alternativa, composta por dois solteiros trintões e pelos seus dois filhos, tem todas as vantagens imagináveis: tarefas domésticas divididas, as crianças nunca estão sozinhas e nunca lhes falta atenção, além de nunca faltar companhia para as noites de fim-de-semana. Só existem duas regras: nunca recorrer a baby-sitters e nunca levar namoradas para casa. Mas, como todas as famílias, estas não está isenta de tensão. Sobretudo, quando Mathias se começa a mostrar muito interessado em Audrey, uma bela e ambiciosa jornalista que um dia entra na sua livraria, ao acaso… Povoado de personagens inesquecíveis, Meus Amigos, Meus Amores é um retrato enternecedor da vida contemporânea e mais um triunfo do autor francês de maior sucesso dos nossos dias.



Marc Levy nasceu em 1961. Passou a maior parte de sua infância no Sul de França. Em 1978, filiou-se ao Comité da Cruz Vermelha francesa, onde recebeu treino intensivo numa das unidades de atendimento. Em 1983, foi promovido a director da Cruz Vermelha numa das suas unidades de resgate urbano. Morou seis anos entre Paris e São Francisco, antes de retornar a França, em 1991, para dirigir o seu escritório de arquitectura.
Em janeiro de 2000, após a publicação do seu primeiro livro, passa a dedicar-se à literatura e a contar histórias para o seu filho. Actualmente, vive entre Londres e Paris.

A minha opinião:
Já perdi a conta aos livros que li deste autor, mas é um dos meus romancistas preferidos.
O primeiro que li deste escritor foi E se Fosse Verdade… cuja história adorei. E depois todos os livros que li a seguir, também gostei muito, como foi o caso dos dois livros: O Primeiro Dia e a Primeira Noite, cheios de aventuras.
Neste último romance, não se trata de uma história de aventuras, mas uma comédia muito romântica sobre o dia-a-dia de dois amigos divorciados, cada um com um filho para criar. Um livro cheio de reviravoltas inesperadas, de ternura e da magia do quotidiano.
Meus Amigos e Meus Amores, é uma história encantadora povoada de personagens inesquecíveis, um retrato enternecedor da vida contemporânea e mais um triunfo do autor francês de maior sucesso dos nossos dias.

sexta-feira, junho 24, 2011

Desculpa, mas quero casar contigo - Federico Moccia

Comecei a ler este livro no dia 15/06/2011 e acabei no dia 22/06/2011.

Alex e Niki, mais apaixonados do que nunca, regressam do farol na ilha de Blu, onde passaram dias inesquecíveis. Niki reencontra as amigas, mas as Ondas vão deparar-se com grandes mudanças que irão pôr à prova a sua amizade. Alex retoma a sua antiga vida e aos seus velhos amigos. Flavio, Enrico e Pedro passaram de maridos tranquilos e seguros a ter de enfrentar muitas dificuldades que têm vindo a abalar os seus casamentos. E todas estas pessoas - homens e mulheres de diferentes idades -, cada uma à sua maneira, vão reflectir sobre o amor. O amor existe? A crise dos sete anos será mesmo verdade? Aqueles que dizem que o amor não pode durar mais de três anos têm razão? E a pergunta mais difícil: O amor pode durar para sempre? É então que Alex decide arriscar e pedir Niki em casamento…



Críticas de imprensa
«Desculpa, mas Vou Chamar-te Amor é um romance que comove e que não deixa ninguém indiferente, com protagonistas expostos a um vendaval de sentimentos contraditórios, à bondade e à traição, ao amor e à vida.»
Il Messaggero

«Moccia possui uma técnica narrativa impecável. Além disso, consegue fotografar de uma maneira nítida a sociedade actual.»
Secolo d'Italia

«Federico Moccia é um fenómeno literário.»
El País

Federico Moccia nasceu em Roma, em 1963. Trabalha como cenógrafo em cinema e como argumentista em televisão. É autor de vários livros, já traduzidos em doze línguas e todos eles grandes best-sellers entre os leitores jovens de todo o mundo.



Moccia combina um estilo rápido, ligeiro e coloquial com uma descrição de situações muito próxima da elaboração de um guião cinematográfico, o que dota a sua escrita de uma grande fluidez. As frequentes alusões a referências culturais, sem descurar a intensidade dos sentimentos e as atitudes rebeldes que caracterizam a adolescência, são os seus trunfos para captar a atenção dos leitores.

quarta-feira, junho 15, 2011

Voltei a mexer no Puzzle







Aqui ficam os avanços do meu puzzle.

Nota: Estive mais ou menos 6 meses sem mexer no puzzle. Mas agora que começei a mexer... dei-lhe um grande avanço.

A Hora do Vampiro - Stephen King

Comecei a ler este livro no dia 05/06/2011 e acabei no dia 14/06/2011

Uma cidade, Sálem, uma casa assombrada e os seus inquilinos (dois vampiros) são o ponto de partida para esta história maravilhosa de vampiros bem escrita e ao mesmo tempo assustadora.



Stephen Edwin King (Portland, 21 de setembro de 1947) é um escritor estadunidense, reconhecido como um dos mais notáveis escritores de contos de horror fantástico e ficção de sua geração. Seus livros foram publicados em mais de 40 países e muitas das suas obras foram adaptadas para o cinema.

Embora seu talento se destaque na literatura de terror/horror, escreveu algumas obras de qualidade reconhecida fora desse gênero e cuja popularidade aumentou ao serem levadas ao cinema, como nos filmes Conta Comigo, Um Sonho de Liberdade (contos retirados do livro As Quatro Estações), Eclipse Total, Lembranças de um Verão e À Espera de um Milagre.



O seu livro, The Dead Zone, originou a série da FOX com o mesmo nome. O próprio King já escreveu roteiros de episódios para séries, como Arquivo X, em que ele escreveu o roteiro do episódio "Feitiço", da quinta temporada.

Críticas de imprensa
«Um escritor de excelência. King é um dos contadores de histórias mais férteis do romance contemporâneo... brilhante.»
The Subday Times

«Esplêndido. Stephen King é um contador de histórias nato e não podia ser mais fácil ficarmos agarrados ao texto.»
Expresso

segunda-feira, junho 06, 2011

Sangue Mortifero - Charlaine Harris

Comecei a ler este livro no dia 01/06/2011 e acabei no dia 04/06/2011.

Com a excepção de Sookie Stackhouse, os habitantes de Bon Temps, no Louisiana, pouco sabiam sobre vampiros e nada sobre lobisomens. Até agora. Lobisomens e metamorfos revelaram finalmente a sua existência ao mundo e isso poderá ter custado a vida a alguém que Sookie conhecia. Mas a sua determinação para descobrir o responsável pelo homicídio é posta de parte perante um perigo muito maior. Uma raça de seres sobrenaturais (mais velhos, poderosos e muito mais misteriosos do que os vampiros ou os lobisomens) prepara-se para a guerra. E Sookie, enredada ainda na teia de antigos amores, ver-se-á como peão demasiado humano nesta batalha...




Charlaine Harris escreve romances de mistério além dos livros de Sookie Stackhouse. Vive no Sul do Arkansas com o marido, três filhos, dois cães, dois furões e um pato. Leitora ávida, cinéfila moderada e halterofilista ocasional, o seu passatempo preferido é incentivar os filhos em desportos variados, instalada em bancadas desconfortáveis.




A minha opinião

Para tem seguido esta colecção – Saga Sangue Fresco, (já vamos no 9º volume), gosta de saber em que aventuras a Sookie anda metida. Sim pois esta colecção não é só sobre vampiros… envolvem muitas mais criaturas do sobrenatural (metamorfos, lobisomens, fadas, wiccas, etc), mas todos os volumes são narrados pela Sookie, que nos conta o seu dia-a-dia, e como ela se envolveu com todas estas criaturas.
É uma escrita simples, pois faz-nos entrar na pele e na mente da Sookie e parece que somos nós que estamos a viver todas as aventuras dela, pois é ela a narradora.
Este volume começa com a divulgação aos seres humanos da existência de Lobisomens e Metamorfos, conforme os vampiros já se haviam feito no início da Saga (pois já não precisavam de matar seres humanos, para saciarem a sua fome de sangue, após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo – True Blood). Não querendo desvendar muito sobre a história, só posso dizer que vamos encontrar um certo número de mortes, para que a Sookie, com a sua capacidade de telepatia, possa descobrir quem foi. E ainda vamos ter a Sookie no meio da luta entre fadas, e ela sendo o principal alvo a abater