Insecta Shoes

quinta-feira, março 31, 2011

A criança que não Queria Falar - Torey Hayden

Comecei a ler este livro no dia 26/03/2011 e acabei no dia 30/03/2011.

Era uma criança de seis anos insociável, violenta, perdida num mundo de raiva e sofrimento... até encontrar uma jovem e brilhante professora.
Esta é a história verídica e comovente da relação entre uma professora que ensina crianças com dificuldades mentais e emocionais e a sua aluna, Sheila, de seis anos, abandonada por uma mãe adolescente e que até então apenas conheceu um mundo onde foi severamente maltratada e abusada. Relatada pela própria professora, Torey Hayden, é uma história inspiradora, que nos mostra que só uma fé inabalável e um amor sem condições são capazes de chegar ao coração de uma criança aparentemente inacessível.



Considerada uma ameaça que nenhum pai nem nenhum professor querem por perto de outras crianças, Sheila dá entrada na sala de Torey, onde ficam as crianças que não se integram noutro lugar. É o princípio de uma relação que irá gerar fortes laços de afecto entre ambas, e o início de uma batalha duramente travada para esta criança desabrochar para uma vida nova de descobertas e alegria. Desde a sua publicaçã o, em 1980, o livro já vendeu 8 500 000 exemplares no Reino Unido e foi traduzido em 27 línguas, tendo sido um bestseller em vários países.

Torey Hayden nasceu em 1951 em Livingston, Montana, nos Estados Unidos. Apesar de ter uma formação académica diversificada, dedicou grande parte da sua vida ao ensino especial e à escrita. Os seus livros, inspirados nas crianças e adultos que conheceu no decurso da sua actividade profissional, são bestsellers traduzidos para cerca de 30 línguas. Nesta colecção poderá encontrar os títulos A Criança Que não Queria Falar, A Menina Que nunca Chorava, Os Filhos do Afecto, Uma Criança em Perigo, Filhos do Abandono, A Força dos Afectos, A Prisão do Silêncio e A Luz de Um Novo Dia.

segunda-feira, março 28, 2011

Mozart - O Supremo Mago - Christian Jacq

Comecei a ler este livro no dia 23 e acabei no dia 25 de Março de 2011.

Tem pouco mais de sete anos, mas já viajou imenso para dar concertos em Praga, Viena, Frankfurt... e tem um segredo que o conforta quando está demasiado fatigado, um tesouro pessoal, um reino imaginário bem desenhado num mapa de que nunca se separa e onde ele é rei. Chama-se Wolfgang Amadeus Mozart, é uma criança prodígio que compõe para "encontrar as notas que se amam". É nessa altura que lhe é apresentado Thamos, conde de Thébas, que vem do Alto-egipto para iniciar o "Grande Mago" cuja obra evitará que a humanidade se envolva no caos. Thamos pressente que esse Mago pode ser Mozart. A partir desse momento, o homem e a criança jamais se separam. Mas conseguirá Thamos salvar Mozart das vicissitudes que se lhe apresentam? Christian Jacq revela-nos os laços estreitos que Mozart mantém com a Franco-Maçonaria e conta-nos a aventura espiritual bem como a vida secreta de um dos grandes génios da História.




Christian Jacq não á apenas um romancista que escreve sobre o antigo Egipto.
É um egiptólogo cujas investigações históricas foram galardoadas pela Academia Francesa e autor de numerosos romances históricos e ensaios de grande êxito.
A obra de Christian Jacq revela um notável domínio da técnica de ficcionista e, nomeadamente, do romance policial, o que faz dele um dos escritores franceses mais apreciados pelo grande público.

quarta-feira, março 23, 2011

Terra da Neve - Yasunari Kawabata

Comecei a ler este livro no dia 21/03/2011 e acabei no dia 22/03/2011.

Terra de Neve é a história de um amor de perdição passado no meio da desolada beleza da costa oeste do Japão, uma das regiões mais nevosas do mundo. É aí, numas termas isoladas de montanha, que o sofisticado Shimamura conhece a geisha Komako, que se entrega a ele sem remorsos, sabendo de antemão que a sua paixão não pode perdurar.



Yasunari Kawabata (Osaka, 11 de Junho de 1899 — Zuschi, 16 de Abril de 1972) foi um escritor japonês.

Foi o primeiro japonês a ser laureado com o Nobel de Literatura, em 1968.

Enquanto criança, Kawabata desejava tornar-se pintor, mas optou por se tornar escritor após publicar alguns contos durante o tempo em que frequentava o liceu.

Ainda jovem foi marcado por acontecimentos trágicos e pela solidão, ficando órfão com três anos, passando então a ser criado pelos avós, no campo. Perdeu a avó com apenas sete anos, a única irmã com nove anos e o avô com catorze.



Em 1920, ingressou na Universidade Imperial de Tóquio. Em 1921, fundou a revista Xin-Xicho (Pensamento Novo),e juntamente com Yokimitsu Riichi, fundou um jornal de letras – Bungei Jidai (Anais Literários) – que ajudava a promover um novo movimento literário, o Xinkankakuha (Sensações Literárias) que, segundo Kawabata e Yokomitsu, tinha como principais preocupações a apresentação de "novas sensações" na literatura, considerando a arte pura como missão primordial do escritor. Nessa revista publicou, em 1926, Izu no Odoriko ("A Dançarina de Izu"), uma história que explorava o erotismo do amor juvenil, com imagens líricas inspiradas em escrituras budistas e poetas medievais japoneses. Iniciara, porém, sua carreira como escritor com narrativas breves, mais tarde denominadas Tanagokoro no shôsetsu ("Contos da Palma da Mão"), hoje considerado um gênero típico de Kawabata.

Em 1931, já casado, mudou-se para Kamakura, antiga capital dos samurais, ao norte de Tóquio. O seu primeiro romance foi Yukiguni ("Terra de Neve" em Portugal e "O país das neves" no Brasil), começado em 1934 e publicado gradualmente de 1935 a 1937. Relata a história de amor entre um homem diletante da cidade de Tóquio e uma gueixa de uma povoação remota onde este encontra um refúgio do stress da sua vida citadina. Este romance colocou Kawabata imediatamente na posição de um dos escritores japoneses mais importantes e promissores, tornando-se o romance num clássico instantâneo que é, hoje, considerado uma das suas mais importantes obras-primas.

Apesar de, durante a Segunda Guerra Mundial, ter permanecido neutro, após o final da guerra, no fim dos anos sessenta, engajou-se em manifestações políticas, participou de campanhas de candidatos conservadores e condenou a Revolução Cultural chinesa. Iniciou em 1949 a série "Mil Garças", em que constam o célebre Senbazuru("Nuvens de Pássaros Brancos"), e Yama no Oto ("O Som da Montanha").

Outras obras suas são Nemurero Bijo ("A Casa das Belas Adormecidas"), Utsukushisa to Kanashimi to ("Beleza e Tristeza") e Koto ("Kyoto" em Portugal). No entanto o romance que Kawabata considerava ser o seu melhor foi Meijin, publicado entre 1951 e 1954.

Kawabata foi ainda membro da Academia Imperial e presidente do Pen Club do Japão, atuando em várias reuniões internacionais de escritores.

Ao receber o Nobel de Literatura de 1968, em seu discurso condenou o suicídio, lembrando vários amigos escritores que haviam morrido dessa forma. Em 1972, porém, em meio a um surto depressivo suicidou-se, em Zushi, perto de Yokohama.

segunda-feira, março 21, 2011

Um Refúgio para a Vida - Nicholas Sparks

Comecei a ler este livro no dia 18/03/2011 e acabei de ler no dia 20/03/2011.

Katie, uma jovem reservada e bonita, vai viver para a cidade de Southport, na Carolina do Norte, onde todos se interrogam sobre o seu passado. Que mistérios esconderá aquela mulher que parece determinada em encobrir os seus encantos e evitar novos laços afectivos? No entanto, e apesar de todas as suas reservas, Katie começa a criar raízes naquela pequena comunidade, à medida que uma nova amizade e um novo amor lhe vão fazendo baixar as defesas. Nicholas Sparks traz-nos uma protagonista fragilizada por um amor que se desvirtuou e que tem de aprender a lidar com as suas sequelas se quiser voltar a amar.



Nicholas Sparks nasceu em 1965 em Omaha, Nebraska. Cresceu em Fair Oaks na Califórnia e vive actualmente na Carolina do Norte com a família. Foi durante algum tempo delegado de informação médica até que Theresa Park, agente literária, decidiu começar a representá-lo, vendendo os direitos do seu primeiro romance O Diário da Nossa Paixão (The Notebook) à Warner Books. O sucesso foi imediato e a obra permaneceu durante 56 semanas consecutivas nos tops americanos. Seguiram-se livros como As Palavras que Nunca te Direi (Message in a Bottle) e Um Momento Inesquecível (A Walk to Remember), Corações em Silêncio (The Rescue) também eles sucessos editoriais de grandes proporções, tendo o primeiro sido adaptado para versão cinematográfica pelo próprio autor. Considerado o golden boy da ficção comercial americana é um autor consagrado internacionalmente pelo público

sexta-feira, março 18, 2011

Comprometida - Elizabeth Gilbert

Comecei a ler este livro no dia 14/03/2011 e acabei no dia 17/03/2011.

No final do seu bestseller Comer, Orar, Amar, Elizabeth Gilbert apaixonou-se por Felipe - um brasileiro com cidadania australiana que vivia na Indonésia quando eles se conheceram. Instalando-se na América, o casal jurou fidelidade eterna um ao outro, mas também jurou nunca, jamais, sob quaisquer circunstâncias, contrair matrimónio. (Eram ambos sobreviventes de divórcios difíceis. Não é preciso dizer mais.) Mas a providência interveio, um dia, sob a forma do Governo dos Estados Unidos da América, o qual - depois de apreender inesperadamente Felipe na travessia de uma fronteira americana - deu uma escolha ao casal: ou se casavam ou o Felipe nunca mais seria autorizado a entrar no país outra vez.



Críticas de imprensa

«É uma história irresistivelmente romântica, temperada por uma intuição invulgar e vibrante sobre o amor e o casamento.»
Booklist

«Em parte biográfico, e em parte estudo histórico e sociológico, Comprometida – Uma História de Amor mostra-nos o que Gilbert faz de melhor.»
The Independent

Elizabeth Gilbert nasceu no Connecticut em 1969. É autora de Pilgrims, uma colecção de contos nomeada para o prémio PEN/Hemingway, de Stern Man e de The Last American Man, nomeado para o National Book Award e para o National Book Critics Circle. Trabalhou na revista GQ e foi nomeada três vezes para o prémio National Magazine pela peculiaridade da sua escrita. Vive em Nova Jérsia com o marido, e está a prepar o seu próximo livro, acerca do casamento.



Opinião:
Apesar deste livro ser biográfico e parte estudo histórico e sociológico, sobre o casamento, é um livro bastante interessante.
É uma bela história de amor entre duas pessoas pessas (divorciadas), que a última coisa que queriam fazer era: casar. Mas por imposições legais e para ficarem juntas a viver nos EUA... tiveram mesmo que casar!!!

segunda-feira, março 14, 2011

Laços de Sangue - Charlaine Harris

Comecei a ler este livro no dia 09/03/2011 e acabei no dia 13/03/2011.

Depois do desastre natural do furacão Katrina e do horror criado pelo homem da explosão na cimeira de Vampiros, Sookie Stackhouse vive segura mas atordoada, ansiando que as coisas voltem ao normal. Mas o seu namorado, Quinn, é um dos desaparecidos. E as coisas mudam, quer isso agrade ou não aos lobisomens e aos vampiros do seu canto do Louisiana. Nas batalhas que se seguem, Sookie enfrenta perigo, morte... e, mais uma vez, a traição de alguém que ama. Mesmo que deixe de haver pêlo de lobo no ar e mesmo que o sangue frio dos vampiros deixe de jorrar, o seu mundo não voltará a ser o mesmo...



Hilariante e profundo... Com o toque seguro de um mestre, Harris consegue manipular o quotidiano para tornar as suas criaturas sobrenaturais muito mais perturbadoras."
Crescent Blues

"Este livro é uma mistura inteligente de momentos dolorosos, agradáveis, sérios, cépticos e inesperados... Um dos melhores romances sobre vampiros que li nos últimos tempos."
Locus

"O charme irreverente do mundo de Harris, com o seu humor e horror ocasionais, é o elemento que torna Sangue Fresco tão fascinante."
The Denver Post

"Harris escreve com competência e segurança."
The New York Times Book Review

"Uma autora de raro talento."
Publishers Weekly

«É impossível não adorar a sensual e vivaz Sookie, certamente uma das heroínas mais cativantes a guiar-nos pelo mundo das trevas em muito tempo. Possivelmente desde sempre.»
BookPage

Charlaine Harris escreve romances de mistério além dos livros de Sookie Stackhouse. Vive no Sul do Arkansas com o marido, três filhos, dois cães, dois furões e um pato. Leitora ávida, cinéfila moderada e halterofilista ocasional, o seu passatempo preferido é incentivar os filhos em desportos variados, instalada em bancadas desconfortáveis.

quarta-feira, março 09, 2011

Descobri que te Amo - Ann E. Cannon

Li este livro no dia 8 de Março de 2011.

Toda a gente tem segredos…
Ed é Sergio,ou é o contrário?Scout adora romances sentimentais…e Ed.Quark parece nunca se aperceber das pessoas à sua volta,até finalmente se apaixonar por…Scout.E o que esconde Elle,a rapariga dos sonhos de Ed?
Uma história doce sobre a vida e o amor.
Quatro vidas que se cruzam,quatro histórias de amor que nos levam a uma pergunta fundamental:será que o verdadeiro amor se esconde no seio de uma grande amizade?



Ann Edwards Cannon é autora de vários livros destinados ao público juvenil, bem recebidos quer pelos leitores, quer pela crítica. As suas obras foram distinguidas, entre outros, com os prémios Delacorte Press Prize for a First Young Adult Novel e ALA Best Book for Young Adults. Vive actualmente em Salt Lake City, no Utah, com o marido e os cinco filhos.

A Casa do Lago - Elizabeth Edmondson

Comecei a ler este livro no dia 27 de Fevereiro de 2011 e acabei no dia 07 de Março de 2011.

Duas mansões inglesas.
Um encontro que mudará tudo.



O Natal aproxima-se e todos os jornais londrinos falam da extraordinária vaga de frio que congelou os lagos no Norte do país. Deixando-se levar pela nostalgia, a jovem Alix Richardson abandona a cidade e regressa à mansão da família para passar a época festiva na companhia de Edwin, o seu irmão gémeo, e Perdita, a irmã mais nova. Três anos antes, Alix fugira dessa mesma casa, desesperada por se libertar da tirania da sua temível avó. Agora, ela está decidida a enfrentá-la, mas não vai ser a única a regressar: um a um, todos os membros da família Richardson e muitos dos seus amigos e conhecidos estão de volta para celebrar o Natal por entre a imensidão das montanhas e dos lagos gelados. No entanto, por detrás da aparente calma da vida familiar, pulsam velhos rancores, paixões e segredos. No ar pairam ainda demasiadas perguntas sobre o acidente de viação que, anos antes, vitimou a sua mãe e a sua irmã mais velha. Dotada agora de uma nova maturidade, Alix está preparada para descobrir a verdade, nem que para tal tenha de desenterrar os fantasmas do passado. Uma decisão que vai mudar a vida de todos …

Elizabeth Edmondson nasceu no Chile e cresceu em Calcutá e Londres, antes de ir estudar para Oxford. Divide actualmente o seu tempo entre Itália e Inglaterra. Está casada com um historiador de arte e tem dois filhos.



A história de A Casa do Lago foi inspirada por uma velha fotografia de uma excêntrica tia-avó e pelas ricas e abundantes memórias e histórias familiares da vida na região dos lagos na década de 1930. Na ASA estão também publicados, com grande sucesso, os seus romances Uma Villa em Itália e A Arte de Amar.