Insecta Shoes

quarta-feira, setembro 30, 2009

#4 - Bolo de Chocolate sem Farinha

Aqui fica o resultado da quarta receita do Desafio: "Paixão pelo Chocolate".
Espero que gostem ;) Eu de certeza que vou gostar!!!

Ingredientes:

125g de Chocolate
140g de Claras (= 4 ovos)
60g de Gemas (= 4 ovos)
40g de manteiga
50g de Açúcar

Preparação:

1. Aqueça o forno a 200ºC e prepare uma forma de 20cm de diâmetro, untando-a com manteiga e polvilhando-a com farinha.
2. Bata as claras em claras em castelo, adicionando-lhe o açúcar.
3. Num outro recipiente, bata as gemas e, depois, acrescente o chocolate derretido com a manteiga.
4. Junte as claras em castelo a este preparado, deite na forma e leve ao forno durante 10m.
5. Retire do forno, desenforme e deixe arrefecer sobre uma rede.

terça-feira, setembro 29, 2009

Coisas que eu Gostava de Comprar

Com este Desafio: "Paixão pelo Chocolate", verifiquei que me faltam algumas peças/utensílios para a cozinha ... então dei um salto até ao site do IKEA e encontrei este prato para Bolo, que eu gostava mesmo de comprar.. mas depois perdi a cabeça e acabei por gostar de todas as outras coisas... Vejam lá se não são giras??? E fazem falta tb!!! E que me dizem devo ou não ir este fim de semana até ao IKEA??


Prato para Bolo



Base para Bolo & Petisqueira



Outro Prato para Bolo



Saco Pasteleiro



Taça para Misturar Massa Bolos



Decoração de Bolos



Formas para Bolos e Bolinhos



Espatulas



Medidores



Base para Bolos



Formas para Gelo



Digam lá se este conjunto de pratos não é lindo??? Fiquei apaixonada !!!


segunda-feira, setembro 28, 2009

Aniversário de Confúcio

Hoje celebra-se o nascimento do pensador chinês Confúcio.

Nascimento: 28 de Setembro, 551 a.C.
Morte: 479 a.C.
Escola/tradição: Fundador do Confucionismo
Principais interesses: Ética, Filosofia Social
Idéias notáveis: Confucionismo
Influências: Dinastia Zhou
Influenciados: Filosofia oriental




Confúcio (em chinês: 孔夫子, pinyin: Kǒngzǐ) (551 a.C. - 479 a.C.) é o nome latino do pensador chinês Kung-Fu-Tse. Foi a figura histórica mais conhecida na China como mestre, filósofo e teórico político. Sua doutrina, o confucionismo, teve forte influência não apenas sobre a China mas também sobre toda a Ásia oriental.
Conhece-se muito pouco da sua vida. Parece que os seus antepassados foram de linhagem nobre, mas o filósofo e moralista viveu pobre, e desde a infância teve de ser mestre de si mesmo. Na sua época, a China estava praticamente dividida em reinos feudais cujos senhores dependiam muito pouco do rei.

Nascimento e juventude

Confúcio, também conhecido como , K'ung Ch'iu, K'ung Chung-ni ou Confucius[1], nasceu em meados do século VI (551 a.c.), em Tsou, uma pequena cidade no estado de Lu, hoje Shantung. Segundo algumas fontes antigas, teria nascido em 552 a. C. (ou seja, no vigésimo primeiro ano do duque Hsiang).[2] Esse estado é denominado de "terra santa" pelos chineses. Confúcio estava longe de se originar de uma família abastada, embora seja dito que ele tinha ascendência aristocrática. Seu pai, Shu-Liang He, antes magistrado e guerreiro de certa fama, tinha setenta anos quando se casou com a mãe de Confúcio, uma jovem de quinze anos chamada Yen Cheng Tsai, que diziam ser descendente de Po Chi'in, o filho mais velho do Duque de Chou, cujo sobrenome era Chi.
Dos onze filhos, Confúcio era o mais novo. Seu pai morreu quando ele tinha três anos de idade, o que o obrigou a trabalhar desde muito jovem para ajudar no sustento da família. Aos quinze anos, resolveu dedicar suas energias em busca do aprendizado. Em vários estágios de sua vida empregou suas habilidades como pastor, vaqueiro, funcionário e guarda-livros. Aos dezenove anos se casou com uma jovem chamada Chi-Kuan. Apesar de se divorciar alguns anos depois, Confúcio teve um filho, K'ung Li.

Viagens

Confúcio viajou por diversos destes reinos, esteve em íntimo contato com o povo e pregou a necessidade de uma mudança total do sistema de governo por outro que se destinasse a assegurar o bem-estar dos súditos, pondo em prática processos tão simples como a diminuição de contribuições e o abrandamento das penalidades. Embora tentasse ocupar um alto cargo administrativo que lhe permitisse desenvolver as suas ideias na prática, nunca o conseguiu, pois tais ideias eram consideradas muito perigosas pelos governantes. Aquilo que ele não pôde fazer pessoalmente acabaram fazendo-o alguns dos seus discípulos, que, graças à boa preparação por ele ministrada, se guindaram, dia após dia, aos cargos mais elevados. Já idoso, retirou-se para a sua terra natal, onde morreu com 72 anos.
Confúcio é biograficamente, segundo o historiador chinês Sima Qian (século II a.C.), uma representação típica do herói chinês. Ele era alto, forte, enxergava longe, tinha uma barriga cheia de Chi, usava longa barba, símbolo de sabedoria, mas se vestia bem e era simples. Era também de um comportamento exemplar, demonstrando sua doutrina nos seus atos. Pescava com anzol, dando opção aos peixes, e caçava com um arco pequeno, para que os animais pudessem fugir. Comia sem falar, era direto, franco, acreditava ser um representante do céu.

Ideias

Sua ideia de organização da sociedade buscava também recuperar os valores antigos, perdidos pelos homens de sua época. No entanto, em sua busca pelo Tao, ele usava de uma abordagem diferente da noção de desprendimento proposta pelos taoístas. Sua ideia estava embasada num critério mais realístico, onde a prática do comportamento ritual daria uma possibilidade real aos praticantes de sua doutrina de viverem em harmonia.
Apesar das ideias de conformismo que possam ser atribuídas a esse pensamento, elas são errôneas. Confúcio não pregava a aceitação plena de um papel definido para os elementos da sociedade, mas sim que cada um cumprisse com seu dever de forma correta. Já o condicionamento dos hábitos serviria para temperar os espíritos e evitar os excessos. Logo, sua doutrina pregava a criação de uma sociedade capaz, culturalmente instruída e disposta ao bem estar comum. Sua escola foi sistematizada nos seguintes princípios:

• Ren, humanidade (altruísmo);
• Li, ou cortesia ritual;
• Zhi, conhecimento ou sabedoria moral;
• Xin, integridade;
• Zhing, fidelidade;
• Yi, justiça, retidão, honradez.

Cada um desses princípios ligar-se-ia às características que para ele se encontravam ausentes ou decadentes na sociedade.
Confúcio não procurou uma distinção aprofundada sobre a natureza humana, mas parece ter acreditado sempre no valor da educação para condicioná-la. Sua bibliografia consta de três livros básicos, sendo que os dois últimos são atribuídos aos seus discípulos:
• Lun yu (Diálogos, Analectos), no qual se encontra a síntese de sua doutrina.
• Dà Xué (大学) (Grande Ensinamento) e
• Zhong Yong (Jung Yung), ou a “Doutrina do Meio”.
Após sua morte, Confúcio recebeu o título de "Lorde Propagador da Cultura Sábio Supremo e Grande Realizador" (大成至聖文宣王), nome que se encontra registrado em seu túmulo.

Eu concordo com todos os principios da sua Escola e acho que mais pessoas deviam seguir os seus ideais.

domingo, setembro 27, 2009

#3 - Kugelhopf de Chocolate e Avelãs

Ingredientes:
125g de chocolate
200g de ovo (4 ovos)
100g de manteiga amolecida
125g de farinha
10g de fermento
100g de açúcar
185g de avelãs moídas
Açúcar em pó para polvilhar

Preparação:

1. Aqueça o forno a 180ºC e prepare uma forma kugelhopf, untando-a com manteiga e polvilhando-a com farinha
2. Coloque a manteiga e o açúcar num recipiente e misture. De seguida, incorpore os ovos, um a um.
3. Peneire a farinha com o fermento e junte-lhe as avelãs moídas.
4. Adicione esta mistura ao preparado anterior, misturando com suavidade
5. Por fim, acrescente o chocolate derretido.
6. Verta a massa na forma e leve ao forno durante 40m
7. Desenforme o bolo e deixe-o arrefecer
8. Polvilhe a superfície com açúcar em pó



Classificação:

Uma Aventura no dia das Eleições

Hoje estava programado fazer a terceira receita do Desafio “Paixaõ pelo Chocolate”... para o almoço com os meus pais!!

Mas hoje o dia começou muito cedo!!! Acordaram-me às 6:10!!!! "Mas que raio... hoje é Domingoooo!!!"... Mas eu já sabia que isto pudesse acontecer!!! Não queria... mas aconteceu, a central telefónica onde eu trabalho, têm uma programação para trabalhar aos dias da semana das 9:00 às 18:00 e aos fins-de-semana, está programada para tocar num outro número... E hoje como foi dias de eleições, era suposto a central telefónica ter começado a trabalhar (ou seja, a receber chamadas) às 6:00 da manhã!!!

Mas o que acham que aconteceu??? Claro que esta não quis trabalhar e então tiveram que me acordar aquelas horas!!! E eu tive que tomar um banho à presa e vestir-me tb à presa e enfiar-me no carro e arrancar para o meu local de trabalho que fica a uns 30km!!!
E foi assim que eu hoje comecei a trabalhar às 7:00 da manhã!!!

Depois de conseguir dar a volta à Central Telefónica e esta começar a receber chamadas... Aleluia!!!!! ainda fiquei por lá até as 10:00... mas perguntam vocês!!! E então e o Desafio??? Não me digas que não vais conseguir fazer o Bolinho de Chocolate e Avelãs???

Então como tinha que voltar até casa, para ir fazer o meu papel de cidadã e colocar uma cruzinha num bocado de papel (para eleger mais uns quantos marmanjos lol), e como estava tudo a correr bem com a Central, pedi autorização ao BIG BOSS, se podia voltar à base!! E assim foi... voltei para casa!!


Ainda tive tempo de ir votar, e de ir ainda fazer a 3ª receita do Desafio "Paixão pelo Chocolate" (a receita coloco no post seguinte). E ainda almocei na casa dos meus pais.

Mas pensam que o dia estava a correr bem???? E que a aventura tinha acabado??? Não senhor!!!!
Já eu estava em minha casa e preparar-me para fazer o post da receita, quando me voltam a ligar do meu trabalho!!! (Mas o que é que aconteceu agora????)

O que aconteceu é que o quadro eléctrico deu o berro!!! Sim não podia acontecer mais nada, né!!! E como o BIG BOSS estava muito longe ... então tive eu que fazer a viagem de regresso para ir tratar de ligar o quadro, para que houvesse energia nos computadores e na Central Telefónica...

Então agora eu encontro-me aqui no meu posto de trabalho à espera que este dia (maravilhoso) passe depressa!!! Mas como é um dia de eleições, pode ser que tenha que ficar aqui até às 22:00!!!!

Pois porque temos duvidas que às 18:30 a central desligue-se e passem as chamadas a tocar noutro local !!! Bem rezem a DEUS !!! e a todos os Santinhos para que isso não aconteça

quinta-feira, setembro 24, 2009

#2 - Bolo clássico de Cacau

Conforme estava agendado no meu Desafio "Paixão pelo Chocolate", ontem foi dia para fazer a segunda receita, que vos apresento aqui:

Ingredientes:
150g de ovo (= 3 ovos)
20g de cacau em pó
85g de farinha
100g de açúcar

Preparação
1.Aqueça o forno a 180ºC. Prepare uma forma de 20 cm de diâmetro, untando-a com manteiga e polvilhando – a com farinha.
2.Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura cremosa e consistente.
3.Peneire a farinha com o cacau e aos poucos, junte à mistura anterior. Proceda de forma cuidadosa, usando uma espátula, para que o preparado não baixe.
4.Deite a massa na forma e leve ao forno durante 20m. Entreabra a porta do forno e mantenha o bolo no forno durante mais 5m.
5.Retire-o então do forno, desenforme-o e deixe-o arrefecer sobre uma rede.




P.S.: É uma receita super fácil de fazer, depois de um dia de 7 horas de trabalho e de andar em transpostes público ainda tive a coragem de chegara a casa e fazer este bolinho, que ficou pronto num instante.

Classificação:

segunda-feira, setembro 21, 2009

O Outono está a Chegar!!!

A partir de amanhã às 22:15... chega o Outono e para celebrar a sua chegada decidi trocar o template do meu blog, o que acham do seu novo aspecto???

domingo, setembro 20, 2009

Emparedados - Isaias Gomes dos Santos

Comecei a ler este livro no dia 17 de Setembro e acabei-o hoje dia 20 de Setembro.





É um livro que fala sobre um caso que se passou na Tapada de Mafra e que levou mais de 9 anos nas várias barras de Tribunal, para ser concluido. É para mostar como os nossos sistemas juridicos funcionam.



Isaías Gomes dos Santos, Advogado. O escritor ofereceu-me este livro depois de nos termos conhecido nas férias à China, onde ficamos amigos.

Muito obrigada, por esta oferta.

#1 - Brazo de Gitano

Então este domingo fiz a minha primeira receita do Desafio: "Paixão pelo Chocolate"

E deixos-vos aqui a receitas e a fotografia de como ficou.

Ingredientes para 6 -8 pessoas:

Para a Massa:
125g de Chocolate
60g de ovos (= 4 ovos)
140g de Claras (= 4 ovos)
50g de Farinha
100g de Açucar

Para o Recheio:
250g de natas batidas
150g de puré de alperces (eu usei pessegos)
4 alperces aos bocados (eu usei pessegos)

Preparação:
1. Aqueça o forno a 250º e forre um tabuleiro rectangular (23 cm x 30 cm) com papel vegetal.
2. Numa tigela, bata as gemas com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada. Adicione o chocolate derretido e mexa bem. Depois incorpore a farinha peneirada e, por fim, as claras em castelo.
3. Espalhe uniformemente a massa sobre o tabuleiro e leve ao forno durante cerca de 8m ou até a massa ter subido e se apresentar firme.
4. Quando a massa tiver cozida, deixe arrefecer e prepare o recheio.
5. Misture as natas com o puré de pessego. Quando a massa estiver fria, espalhe o creme até chegar às extremidades; distribua os bocadinhos de pessego e enrole cuidadosamente, com a ajuda do papel vegetal; a parte em que a massa une deve de ficar para baixo.
6. Antes de servir, polvilhe com açúcar em pó.




Ficou muito saboroso!!! Já a bastante tempo que eu não fazia uns doces ... e durante a elaboração deste Brazo de Gitano, ao derreter o chocolate em banho-maria, queimei a ponta do dedo indicador (consequências deste oficio, que eu tanto adoro).

Classificação:

Projecto: Paixão pelo Chocolate

Como prometido no post anterior, na sequência de ler o livro Julie e Julia, decidi inciar um projecto identico, mas numa área que eu gosto mais: a Doçaria.

Então lembrei-me que eu tenho o livro "Paixão pelo Chocolate", cheio de receitas super saborosas, todas feitas com... CHOCOLAT...EEEEE!!!!



Por isso lançei-me um desafio: fazer durante 365 dias, todas as receitas (113!!!) que constam deste livro. Assim todos os domingos e quartas-feiras, tenho que exprimentar uma receita nova.

Que tal??? Gostaram da ideia??? Eu acho simplesmente deliciosa ;)!!! lol

Aqui fica a Listagem das receitas que eu vou fazer:

1 Brazo de Gitano
2 Bolo Clássico de Cacau
3 Kugelhopf de Chocolate e avelãs
4 Bolo de chocolate sem farinha
5 Bolo mármore com laranja
6 Pudim de chocolate e gengibre cozido no vapor
7 Bolachas de nozes e canela com chocolate branco
8 Melindes de cacau
9 Cookies de aveia com pepitas de chocolate
10 Bolachas Bombom
11 Madalenas com compota de maçã
12 Tarte de chocolate e limão
13 Tarte com cobertura crocante de sésamo
14 Tarte de alpercescom nozes
15 Tarte com frutos vermelhos e merengue
16 Tarte de peras e chocolate com maçapão
17 Bolo de merengue com cacau
18 Bolo de creme de chocolate de leite
19 Cheesecake com chocolate branco
20 Quadrado de chocolate e framboesas
21 Floresta Negra à Antiga
22 Sachertortr
23 Batido de Stracciatella
24 Batido com natas e morangos
25 Chocolate frio com laranja e baunilha
26 Taça de chocolate com anis e pedacinhos de bolo
27 Irsih Coffee com dois chocolates
28 Chocolate à Espanhola
29 Chocolate à Mexicana
30 Choclate em Taça
31 Chocolate com Baunilha
32 Chocolate com Laranja
33 Infusão Asteca
34 Chocolate Suiço
35 Chocolate com Canela
36 Chocolate Françês
37 Espetadas de frutas e massa de chaux
38 Molho base
39 Molho de Chocolate branco e hortelã - pimenta
40 Molho de Chocolate e café
41 Molho de Chocolate com caramelo
42 Molho de Chocolate, mel e gengibre
43 Molho de Chocolate, avelãs e baunilha
44 Creme de pasteleiro com chocolate
45 Creme de Chocolate com sabor a hortelã
46 Creme de cacau, laranla e canela
47 Pétalas de Parmesão com chocolate e Vinagre
48 Pudim de parmesão com molho de trufa e chocolate
49 Almôndegas de seitan com molho de chocolate e vinho tinto
50 Pão de frutos secos com chocolate preto
51 Mole poblano
52 Salada de tofu fumado e citrinos
53 Fetuccini de cacau
54 Canudos de mascarpone e dois chocolates
55 Suflês de cacau e leite de avelãs
56 Creme de queijo fresco e chocolate com pêssegos salteados
57 Torta com molho de chocolate e café
58 Gelado de baunilha com pepitas de chocolate
59 Rendas de crepes de cacau com creme de framboesas
60 Fondeu aromático
61 Esponja de chocolate semiamargo com creme de alfazema
62 Zuppa inglese de figos e chocolate branco
63 Sorvete de cacau
64 Tiramisú
65 Souflê de chocolate com cristais de pralin
66 Parfait de castanhas e chocolate
67 Sopa morna de chocolate e canela
68 Tarte gelada de chocolate brnaco sobre base de brownie
69 A musses
70 Sopa de chocolate com gelado de hortelã
71 Brownie de chocolate branco e gengibre
72 Chocolate cremoso com carapinhada de laranja sanguina e majericão
73 Musse de chocolate com açafrão entre telhas estaladiças de kikos
74 Brownies
75 Bombons de maracujá
76 Charutos de ponta branca
77 Macarrões
78 Quadrados Suiços
79 Trufas
80 Florentinos
81 Tarteletes com recheio de frutos secos
82 Telhas estaladiças com amêndoas
83 Lionesas
84 Tronco de Natal com dulce de leche
85 Möbius, torrão de autor
86 Christmas dreams
87 Bolachas Santa Claus
88 A Pascoa
89 Fazer ovos com moldes
90 Canudos e cilindros
91 Cones
92 Folhas
93 Aparas
94 Pinheiros e moinho
95 Outros materiais que podemos utilizar
96 Batido de alfarroba e soja
97 Muffins de laranja aveia e alfarroba
98 Bavaroise de alfarroba
99 Bebida aromática
100 Creme para barrar
101 Bolachas intergrais com cobertura
102 Tarte de alfarroba, cuscuz e avelãs
103 Gelado de banana com veios de alfarroba
104 Sobremesa cremosa de café de cevada e alfarroba
105 Musse de queijo fresco e alfarroba
106 Pipocas de alfarroba
107 Barrinhas estaladiças
108 Negrinhos
109 Bolo integralcom creme de alfarroba
110 Bolachas com flocos de arroz
111 Irregulares
112 Espetadas de ganacho
113 Cascas de laranja confitadas

quinta-feira, setembro 17, 2009

Julie & Julia - Julie Powell

Comecei a ler este livro no dia 09/09/09!! E acabei no dia 17/09/2009.




À beira dos trinta, encurralada num desinteressante trabalho como secretária sem fim à vista e num minúsculo apartamento, Julie Powell resolve recuperar a sua vida, perdida num quotidiano monótono, através da culinária. Ao longo de um ano, experimenta cada uma das 524 receitas da lendária Julia Child. Gradualmente passando dos oeufs en cocotte ao bistek sauté au beurre, começa a perceber que aquele Projecto (acompanhado por blog) está a mudar a sua vida. A sua recompensa é não só um recém-adquirido respeito por fígado de porco e mioleira de vaca, mas uma vida inteiramente nova - e vivida com estilo e muito gosto.
Julie & Julia de Julie Powell


Críticas de imprensa
«Um festim, uma viagem, e uma maravilha. Julie Powell escreve sobre culinária da forma como sempre devia ter sido feito: em grandes pedaços de rapsódia, amanteigados, honestos, cobiçosos e besuntados de molho.»
Elizabeth Gilbert, autora de Eat, Pray, Love

«Meditativo, irreverente, e ocasionalmente hilariante… Powell escreve como um Chris Rock da culinária – de forma profana, honesta e extremamente engraçada», Seattle Times «Encantador… Powell nunca pretende ser mais do que quem é: uma rapariga da classe trabalhadora que se atreve a sair da sua vida rotineira para encontrar o que todos nós procuramos, a felicidade.»
USA Today

«Irresistível... Uma espécie de meio caminho entre Bridget Jones e The French Chef.»
Philadelphia Inquirer

«Muito do prazer que retiramos de ler Julie and Julia está na honestidade explícita da autora… Ela mostra os reveses do que é tentar realmente fazer algo de novo com a própria vida.»
Chicago Tribune

A Minha Opinião:
Adorei este livro, adorei a maneira como a Julia Powell escreve. E acho que este livro vai mudar a minha vida, pois vou tentar imitar o que a Julia fez... mas em vez de fazer receitas de um livro com receitas francesas, vou tentar fazer todas as receitas de um outro livro... (de uma coisa que eu gosto mais... e que me dá mais prazer) "A Paixão pelo Chocolate"


Julie Powell (born 1973 in Austin, Texas, USA) is an American author known for the book Julie & Julia: 365 Days, 524 Recipes, 1 Tiny Apartment Kitchen.
Born and raised in Austin, Texas, she attended Amherst College, graduating in 1995 with a double major in theater and creative writing.[1][2]



While working for the Lower Manhattan Development Corporation in August 2002, Powell began the Julie/Julia Project, a Web log chronicling her attempt to cook all the recipes in Julia Child's Mastering the Art of French Cooking.[3] The blog quickly gained a large following, and Powell signed a book deal with Little, Brown and Company. The resulting book, Julie and Julia: 365 Days, 524 Recipes, 1 Tiny Apartment Kitchen, was published in 2005.[4] The paperback edition was retitled Julie and Julia: My Year of Cooking Dangerously.
Powell's second book, Cleaving: a Story of Marriage, Meat, and Obsession, which details an affair she had after the first book's publication and which is unmentioned in the film, has had its publication date postponed until December 2009.


Aqui fica o link para o blog do projecto Julie & Julia
http://blogs.salon.com/0001399/

Aqui está o trailer do filme:



Tenho agora que aguardar que este filme chegue às nossas salas de cinema.. estou ansiosa

Informação sobre o filme:

Julie & Julia is a comedy-drama 2009 film written and directed by Nora Ephron. The film depicts events in the life of chef Julia Child in the early years in her culinary career, contrasting her life with Julie Powell, who aspires to cook all 524 recipes from Child's cookbook during a single year.
Ephron's screenplay is adapted from two books: My Life in France, Child's autobiography, written with Alex Prud'homme, and a memoir by Julie Powell. In August 2002, Powell started documenting online her daily experiences cooking each of the 524 recipes in Child's Mastering the Art of French Cooking, and she later began reworking that blog, The Julie/Julia Project,[1] into a book, Julie & Julia: 365 Days, 524 Recipes, 1 Tiny Apartment Kitchen (Little, Brown, 2005). The paperback was retitled Julie & Julia: My Year of Cooking Dangerously (Back Bay Books, 2006). Both books adapted by Ephron were written and published in the same time frame of 2004 to 2006. The film is the first major motion picture based on a blog.[2]


Ephron began filming Julie & Julia in March 2008. Meryl Streep portrays Julia Child, and Amy Adams appears as Julie Powell. The film officially premiered on July 30, 2009 at the Ziegfeld Theatre in New York City and opened throughout North America on August 7, 2009.[3]
Julie Powell (Amy Adams) attempts to cook every recipe in Julia Child's cookbook, Mastering the Art of French Cooking. She writes a blog about her experience. Woven into her story is the story of Julia Child's time in Paris, in which she discovers the art of cooking. The film goes back and forth between Julie and Julia's lives.

Cast
•Meryl Streep as Julia Child
•Amy Adams as Julie Powell
•Stanley Tucci as Paul Child, Julia Child's husband
•Chris Messina as Eric Powell, Julie Powell's husband
•Linda Emond as Simone Beck ("Simca"), with whom Julia wrote Mastering the Art of French Cooking
•Jane Lynch as Dorothy McWilliams, Julia Child's sister
•Mary Lynn Rajskub as Sarah, Powell's best friend
•Vanessa Ferlito as Cassie
•Casey Wilson as Regina

Critical reaction

The film has received generally favorable reviews from critics.[9] Rotten Tomatoes reported that 75% of critics gave positive reviews based on 155 reviews with an average score of 6.7/10. Another review aggregator, Metacritic, which assigns a normalized rating out of 100 top reviews from mainstream critics, gave it an average score of 65%, based on 32 reviews. Meryl Streep has been widely praised for her performance as Julia Child. Movie critic A.O. Scott of The New York Times affirmed that "By now this actress [Streep] has exhausted every superlative that exists and to suggest that she has outdone herself is only to say that she’s done it again. Her performance goes beyond physical imitation, though she has the rounded shoulders and the fluting voice down perfectly." Reviewer Peter Travers wrote in Rolling Stone that "Meryl Streep — at her brilliant, beguiling best — is the spice that does the trick for the yummy Julie & Julia." Similarly, Stephanie Zacharek of Salon magazine concluded that "Streep isn't playing Julia Child here, but something both more elusive and more truthful — she's playing our idea of Julia Child."

Los Angeles Times critic Kenneth Turan commented, "[Julie & Julia] does it right. A consummate entertainment that echoes the rhythms and attitudes of classic Hollywood, it's a satisfying throwback to those old-fashioned movie fantasies where impossible dreams do come true. And, in this case, it really happened. Twice."

The A.V. Club gave the film a C, explaining, "Julie & Julia is two movies in one. That’s one more movie than it needs to be.
Entertainment Weekly gave it a B+. The review by Slate was also positive.


Informação sobre Julia Child (August 15, 1912 – August 13, 2004) was an American chef, author and television personality. She introduced French cuisine and cooking techniques to the American mainstream through her many cookbooks and television programs, notably The French Chef which premiered in 1963. Her most well-known cookbook is Mastering the Art of French Cooking, published in 1961.



Child was born Julia Carolyn McWilliams to John and Julia Carolyn ("Caro") McWilliams in Pasadena, California. The eldest of three children, she had a brother, John III, (1914–2002), and a sister Dorothy D. (1917–2006).[1] Child was raised in a well-to-do family where she ate traditional New England food prepared by the family cook. She attended Westridge School, Polytechnic School from fourth grade to ninth grade and then The Branson School in Ross, California, which was at the time a boarding school. At six feet, two inches (1.88 m) tall, Child played tennis, golf, and basketball as a child and continued to play sports while attending Smith College, where she graduated in 1934 with a Bachelor of Arts degree in English[2]. Following her graduation from college, Child moved to New York City, where she worked as a copywriter for the advertising department of upscale home-furnishing firm W. & J. Sloane. Returning to California in 1937, she spent the next four years writing for local publications and working in advertising.
After the bombing of Pearl Harbor, Child joined the Office of Strategic Services (OSS) after finding that she was too tall to enlist in the Women's Army Corps (WACs) or in the U.S. Navy through the WAVES.[3]
Beginning her OSS career at its headquarters in Washington, Child worked directly for the head of OSS, General William J. Donovan. Working as a research assistant in the Secret Intelligence division, she typed ten thousand names on white note cards used to keep track of officers. For a year she worked at the OSS Emergency Rescue Equipment Section (ERES) in Washington, D.C. as a file clerk and then as assistant to developers of a shark repellent needed to ensure that sharks would not explode ordnance targeting German U-boats. In 1944 she was posted to Kandy, Ceylon (now Sri Lanka), where her responsibilities included "registering, cataloguing and channeling a great volume of highly classified communications" for the OSS's clandestine stations in Asia[4]. She was later posted to China, where she received the Emblem of Meritorious Civilian Service as head of the Registry of the OSS Secretariat.[5]
Following the war she married Paul Cushing Child on September 1, 1946 in Lumberville, Pennsylvania[6], and the couple moved to Washington, D.C. Paul Child, a New Jersey native[7] who had lived in Paris as an artist and poet, was known for his sophisticated palate.[8] He joined the United States Foreign Service and introduced his wife to fine cuisine. In 1948 they moved to Paris after the US State Department assigned Paul there as an exhibits officer with the United States Information Agency. The couple had no children.[5]
Child repeatedly recalled her first meal in Rouen as a culinary revelation; once, she described the meal of oysters, sole meunière and fine wine to The New York Times as "an opening up of the soul and spirit for me." In Paris she attended the famous Le Cordon Bleu cooking school and later studied privately with Max Bugnard and other master chefs. She joined the women's cooking club Cercle des Gourmettes where she met Simone Beck who, with her friend Louisette Bertholle, was writing a French cookbook for Americans. Beck proposed that Child work with them to make it appeal to Americans.
In 1951 Child, Beck and Bertholle began to teach cooking to American women in Child's Paris kitchen, calling their informal school L'Ecole des Trois Gourmandes (The School of the Three Food Lovers). For the next decade, as the Childs moved around Europe and finally to Cambridge, Massachusetts, the three researched and repeatedly tested recipes. Child translated the French into English, making the recipes detailed, interesting, and practical.
The three would-be authors initially signed a contract with publisher Houghton Mifflin, which later rejected the manuscript for being too much like an encyclopedia. Finally, when it was first published in 1961 by Alfred A. Knopf, the 734-page Mastering the Art of French Cooking was a best-seller and received critical acclaim that derived in part from the American interest in French culture in the early 1960s. Lauded for its helpful illustrations, precise attention to detail and for making fine cuisine accessible, the book is still in print and is considered a seminal culinary work. Following this success, Child wrote magazine articles and a regular column for The Boston Globe newspaper.
A 1962 appearance on a book review show on the National Educational Television (NET) station of Boston, WGBH, led to the inception of her television cooking show after viewers enjoyed her demonstration of how to cook an omelette. The French Chef debuted February 11, 1963, on WGBH and was immediately successful. The show ran nationally for ten years and won Peabody and Emmy Awards, including the first Emmy award for an educational program. Though she was not the first television cook, Child was the most widely seen. She attracted the broadest audience with her cheery enthusiasm, distinctively charming warbly voice, and unpatronising and unaffected manner.
In 1972 The French Chef became the first television program to be captioned for the deaf, albeit in the preliminary technology of open captioning.[9]
Child's second book, The French Chef Cookbook, was a collection of the recipes she had demonstrated on the show. It was soon followed in 1971 by Mastering the Art of French Cooking, Volume Two, again in collaboration with Simone Beck, but not with Louisette Bertholle, with whom they had ended their partnership. Child's fourth book, From Julia Child's Kitchen, was illustrated with her husband's photographs and documented the color series of The French Chef, as well as providing an extensive library of kitchen notes compiled by Child during the course of the show.
In 1981 she founded the educational American Institute of Wine and Food in Napa, California, with vintners Robert Mondavi and Richard Graff to "advance the understanding, appreciation and quality of wine and food," a pursuit she had already begun with her books and television appearances.


In the 1970s and 1980s she was the star of numerous television programs, including Julia Child & Company and Dinner at Julia's; at the same time she also produced what she considered her magnum opus, a book and instructional video series collectively entitled The Way To Cook, which was published in 1989.
She starred in four more series in the 1990s that featured guest chefs: Cooking with Master Chefs, In Julia's Kitchen with Master Chefs, Baking With Julia, and Julia Child & Jacques Pépin Cooking at Home. She collaborated with Jacques Pépin many times for television programs and cookbooks. All of Child's books during this time stemmed from the television series of the same names.
Beginning with In Julia's Kitchen with Master Chefs, the Childs' home kitchen in Cambridge was fully transformed into a functional set, with TV-quality lighting, three cameras positioned to catch all angles in the room, a massive center island with a gas stovetop on one side and an electric stovetop on the other, but leaving the rest of the Childs' appliances alone, including "my wall oven with its squeaking door."[10] This kitchen backdrop hosted nearly all of Child's 1990s television series.
Child's last book was the autobiographical My Life in France, published posthumously in 2006 and written with her husband's great nephew, Alex Prud'homme. The book recounts Child's life with her husband, Paul Child, in post-World War II France.
Child was a favorite of audiences from the moment of her television debut on public television in 1963, and she was a familiar part of American culture and the subject of numerous references. In 1966 she was featured on the cover of Time with the heading, "Our Lady of the Ladle." In a 1978 Saturday Night Live sketch, she was affectionately parodied by Dan Aykroyd continuing with a cooking show despite profuse bleeding from a cut to his thumb. It has been told that Julia loved this sketch so much that she would show it to friends at parties.[citation needed] Jean Stapleton portrayed her in a 1989 musical, Bon Appétit!, based on one of her televised cooking lessons. The title derived from her famous TV sign-off: "This is Julia Child. Bon appétit!". She was also the inspiration for the character "Julia Grownup" on the Children's Television Workshop program, The Electric Company (1971–1977), and was portrayed or parodied in many other television and radio programs and skits, including The Cosby Show (1984–1992) by character Heathcliff Huxtable (Bill Cosby) and Garrison Keillor's radio series A Prairie Home Companion by voice actor Tim Russell. Julia Child's TV show is briefly portrayed in the 1986 movie, The Money Pit starring Tom Hanks and Shelley Long; the 1985 Madonna film Desperately Seeking Susan and the 1991 comedy Don't Tell Mom The Babysitter's Dead.
In 2009 Child was half the focus of the feature film Julie & Julia, with Meryl Streep portraying Child; see below for further details.
Child was a favorite of audiences from the moment of her television debut on public television in 1963, and she was a familiar part of American culture and the subject of numerous references. In 1966 she was featured on the cover of Time with the heading, "Our Lady of the Ladle." In a 1978 Saturday Night Live sketch, she was affectionately parodied by Dan Aykroyd continuing with a cooking show despite profuse bleeding from a cut to his thumb. It has been told that Julia loved this sketch so much that she would show it to friends at parties.[citation needed] Jean Stapleton portrayed her in a 1989 musical, Bon Appétit!, based on one of her televised cooking lessons. The title derived from her famous TV sign-off: "This is Julia Child. Bon appétit!". She was also the inspiration for the character "Julia Grownup" on the Children's Television Workshop program, The Electric Company (1971–1977), and was portrayed or parodied in many other television and radio programs and skits, including The Cosby Show (1984–1992) by character Heathcliff Huxtable (Bill Cosby) and Garrison Keillor's radio series A Prairie Home Companion by voice actor Tim Russell. Julia Child's TV show is briefly portrayed in the 1986 movie, The Money Pit starring Tom Hanks and Shelley Long; the 1985 Madonna film Desperately Seeking Susan and the 1991 comedy Don't Tell Mom The Babysitter's Dead.
In 2009 Child was half the focus of the feature film Julie & Julia, with Meryl Streep portraying Child; see below for further details.
On August 18, 2004, a documentary filmed during her lifetime premiered. Produced by WGBH, the one-hour feature, Julia Child! America's Favorite Chef, was aired as the first episode of the 18th season of the PBS series American Masters. The film combined archive footage of Child with current footage from those who influenced and were influenced by her life and work.
In August 2002, Julie Powell started documenting online her daily experiences cooking each of the 524 recipes in Child's Mastering the Art of French Cooking. Powell later rewrote the blog, "The Julie/Julia Project," into a memoir, Julie & Julia: 365 Days, 524 Recipes, 1 Tiny Apartment Kitchen (Little, Brown, 2005), the paperback version of which was retitled Julie and Julia: My Year of Cooking Dangerously (Back Bay Books, 2006).
Nora Ephron wrote the screenplay for the film Julie & Julia, which she adapted from Child's memoir My Life in France and from Julie Powell's memoir. The film, directed by Ephron, was released on August 7, 2009 with Meryl Streep playing Child.

Esta é a cozinha da Julia Child que está no Museu:

quarta-feira, setembro 09, 2009

Excerto do livro O Talentoso Sr. Ripley

"A única coisa que lamentava era não ter ainda visto o mundo inteiro. Queria conhecer a Austrália. E a Índia. Queria conhecer o Japão. Depois a América do Sul. Contemplar a arte desses países seria agradável só por si, compensaria o trabalho e os aborrecimentos de uma vida, pensou para si."

Este é um dos pensamentos do Sr. Ripley, no final do livro, e eu tenho que concordar plenamente.... viajar, conhecer outros países, outras culturas, comidas, pessoas, costumes é uma excelente compensação para os aborrecimentos da vida, para as chatices do trabalhos, para a banalidade do nosso dia-a-dia (casa-trabalho-casa).
Por isso temos que suportar todos os dias coisas insuportáveis para poderemos arrecadar algum dinheiro, para depois o podermos gastar numas merecidas férias!!!!

O Talentoso Mr. Ripley - Patricia Highsmith

Comecei a ler o livro hoje dia 03/09/2009 e acabei no dia 09/09/09!!!!

Patricia Highsmith é a grande criadora do romance policial psicológico e Tom Ripley é o personagem de referência da sua obra, um dos mais "negros" do policial do pós-guerra, "um homem que não reconhece a culpa em qualquer circunstância", segundo as palavras da escritora. Por isso ela lhe dedicou toda uma série de livros, que começa justamente com "O Talentoso Mr. Ripley" , mais uma vez adaptado ao cinema, agora pela câmara de Anthony Minghella. Aliás, a obra da autora desde cedo apaixonou os cineastas. O seu primeiro romance, "O Desconhecido do Norte-Expresso seria adaptado por Alfred Hitchcock.
Outros se lhe seguiram, fascinados por Ripley: René Clement e Wim Wenders. Ripley é um homem vulgar, que quer sair da América. A oportunidade surge quando o Sr. Greenleaf, seduzido por uma sua prestação ao piano, enganado por um casaco da Universidade de Harvard (Ripley é muito bom a imitar, a manipular, a disfarçar), o convence a ir à Europa e trazer-lhe de volta o filho, que vive em Itália uma dolce vita, com a mesada que o pai lhe manda todos os meses.
Ripley torna-se amigo de Dickie Greenleaf e da namorada deste, mas numa discussão violenta acaba por matá-lo e assumir a sua identidade. E a partir deste momento, o perigo, o inesperado, o medo, mas também uma frieza e um calculismo extremos perante a morte, passam a fazer parte do quotidiano de Ripley, que, no entanto, é capaz de se comover e nos comover, ao assistir a um espectáculo de ópera



Gostei bastante de ler este livro...suspense até à ultima linha!!! Será que ele vai ser desmascarado??? Será que todos os seus crimes serão revelados???

Foi o primeiro livro que li desta escritora e gostei muito da sua maneira de escrever... e consegui viajar até Itália, Mongibello, Roma!!! ... e pelos canais de Veneza!!!

Já tenho o filme comigo e espero conseguir vê-lo ainda hoje!!!




Patricia Highsmith (Fort Worth, Texas, 19 de Janeiro de 1921 - Locarno, Suíça, 4 de Fevereiro de 1995) foi uma escritora estado-unidense famosa pelos seus thrillers criminais psicológicos. Tornou-se mundialmente famosa por Strangers on a Train, que teve já várias adaptações para cinema, a mais famosa de Alfred Hitchcock em 1951, e pela série Ripliad com a personagem Thomas Ripley. Escreveu também muitas histórias curtas, frequentemente macabras, satíricas ou tingidas de humor negro.

quinta-feira, setembro 03, 2009

Crimes Quase Perfeiros - Hy Conrad

Comecei a desvendar os crimes no dia 11 de Junho de 2009. E acabei resolver dos os crimes no dia 3 de Setembro de 2009.



Este é o livro ideial para todos os candidatos a dectective.

Se acham que sabem sempre a solução do mistério antes do fim do livro vão adorar este livro.

Cada "Capitulo" consiste num mistério para o leitor resolver. É apresentado o caso, as pistas que o leitor/detective pode consultar para ajudar a resolver o caso e uma indicação do número indispensável de pistas para resolver o caso (cabe ao leitor decidir quais, podendo consultar todas as disponiveis, obviamente).
No fim de cada "capitulo" existem 3 perguntas (tipicamente: quem, porquê e um promenor do como).



Antes de Eu Morrer - Jenny Downham

Comecei a ler este livro hoje dia 29 de Agosto de 2009

A Tessa restam apenas alguns meses de vida. Lutando contra as frequentes idas ao hospital, os incontáveis exames e os medicamentos com terríveis efeitos secundários, Tessa empenha-se a escrever a sua lista de coisas A Fazer Antes de Morrer. E em número um aparece: Sexo. Libertada das restrições da «vida normal», Tessa saboreia novas experiências que a fazem sentir-se viva enquanto o seu corpo debilitado se esforça por continuar. Os sentimentos de Tessa, a relação com o pai e com o irmão, com a mãe distante, com a melhor amiga e com o novo namorado são dolorosamente cristalizados nas preciosas e breves semanas de vida que lhe restam. Antes de Eu Morrer é um romance brilhante, comovente mas curiosamente cheio de vida.



Acabei de ler este livro ontem dia 1 de Setembro de 2009

Adorei este livro. Têm uma escrita muito simples que se lê muito bem.
Foi o primeiro livro desta escritora, mas espero que não seja o último.

Apesar de o tema central do livro ser a leucemia, este é abordado de uma prespectiva diferente. Levando o leitor a tomar consciência que devemos levar a nossa vida de uma outra forma...

Devemos viver a nossa vida para as coisas que são realmente importantes, como a nossa familia, o amor, os nossos amigos, as coisas simples como disser alguem que a amamos, pk pode ser que se nos acontecer alguma coisa sem estarmos à espera.. já pode ser tarde demais.


Jenny Downham (born 1964) is a British novelist and an ex-actor. She has published one book, Before I Die, the fictional account of the last few months of a sixteen-year-old girl who has been dying of leukemia for 4 years. The book is told in the first person.



The book was critically acclaimed and was short listed for the 2007 Guardian Award and the 2008 Lancashire Children's Book of the Year, nominated for the 2008 Carnegie Medal and the 2008 Booktrust Teenage Prize, and won the 2008 Branford Boase Award.

The book follows the story of Tessa as it becomes apparent she will die. She has a list of things she wants to complete before her death, including sex, drugs and crime, for example. It also follows the ups and downs of Tessa's parents' relationship and her friend Zoey as she becomes pregnant and her boyfriend hates her for it. As the book goes on, Tessa's thoughts are used to explore the nature of life. This novel is a very poignant tale that makes you ponder about how you are living your own life to the fullest.

No livro, a Tessa faz um pedido aos familiares, para que no dia do funeral não leiam o poema Funeral Blues do escritor Auden em sua vez que leiam o Soneto 12 de Shakespeare. E toquem as seguintes musicas:

- Blackbird dos Beatles
- Plainsong dos The Cure
- Live like you were dying
- All The Trees Of The Field Will Clap Their Hands :


A primeira versão do poema Funeral Blues foi escrita por Auden em 1936, aparentemente parodiando o desaparecimento de um líder político, na peça em verso A Subida do F6.
Embora possa não ter sido essa a intenção original, este poema tem sido utilizado na cultura ocidental para exprimir um sentimento forte de perda e de luto, quer individual quer colectivo

Stop all the clocks, cut off the telephone,
Prevent the dog from barking with a juicy bone.
Silence the pianos and with muffled drum
Bring out the coffin, let the mourners come.

Let aeroplanes circle moaning overhead
Scribbling on the sky the message He is Dead,
Put crépe bows round the white necks of the public doves,
Let the traffic policemen wear black cotton gloves.

He was my North, my South, my East and West,
My working week and my Sunday rest,
My noon, my midnight, my talk, my song,
I thought that love would last forever: 'I was wrong'

The stars are not wanted now, put out every one;
Pack up the moon and dismantle the sun;
Pour away the ocean and sweep up the wood.
For nothing now can ever come to any good.

Tradução em Portugues

Parem todos os relógios, desliguem o telefone,
Não deixem o cão ladrar aos ossos suculentos,
Silenciem os pianos e abafem o tambor
Tragam o caixão, deixem passar a dor.

Que os aviões voem sobre nós lamentando,
Escrevinhando no céu a mensagem: Ele Está Morto,
Ponham laços de crepe nos pescoços das pombas da região,
Que os polícias de trânsito usem luvas pretas de algodão.

Ele era o meu Norte, o meu Sul, o meu Este e Oeste,
A minha semana de trabalho, o meu descanso de domingo,
O meu meio-dia, a minha meia-noite, a minha conversa, a minha canção;
Pensei que o amor ia durar para sempre: “não tinha razão”.

Agora as estrelas não são necessárias: apaguem-nas todas;
Emalem a lua e desmantelem o sol;
Despejem o oceano e varram a floresta;
Pois agora nada mais de bom nos resta.




SONNET 12
When I do count the clock that tells the time,
And see the brave day sunk in hideous night;
When I behold the violet past prime,
And sable curls all silver'd o'er with white;
When lofty trees I see barren of leaves
Which erst from heat did canopy the herd,
And summer's green all girded up in sheaves
Borne on the bier with white and bristly beard,
Then of thy beauty do I question make,
That thou among the wastes of time must go,
Since sweets and beauties do themselves forsake
And die as fast as they see others grow;
And nothing 'gainst Time's scythe can make defence
Save breed, to brave him when he takes thee hence.


Quando eu contar o relógio que conta o tempo,
E ver o dia corajoso afundado na noite horrenda;
Quando vi as violetas passado nobre,
And sable curls toda a prata 'o'er d com o branco;
Quando eu vejo altas árvores estéreis de folhas
Erst do calor que fez cobertura do rebanho,
E no verão é verde todos os cingiu-se em feixes
Borne on the bier com barba branca e eriçado,
Então, tua beleza faço questão de fazer,
Que tu entre os desperdícios de tempo deve ir,
Desde doces e belezas que se abandone
E morrem tão rapidamente como eles vêem os outros a crescer;
E foice gainst Time "nada pode fazer a defesa
Salvar a raça, a bravo quando ele leva-te daqui.



Blackbird - Beatles



Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arrive

Black bird singing in the dead of night
Take these sunken eyes and learn to see
all your life
you were only waiting for this moment to be free

Blackbird fly, Blackbird fly
Into the light of the dark black night.

Blackbird fly, Blackbird fly
Into the light of the dark black night.

Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arrive,
You were only waiting for this moment to arise,
You were only waiting for this moment to arise

Tradução em Português:

Melro cantando na calada da noite
Tome estas asas quebradas e aprender a voar
Toda sua vida
Você só estava esperando por esse momento chegar

Melro cantando na calada da noite
Leve estes olhos fundos e aprenda a ver
toda a sua vida
você estava esperando por esse momento para ser livre

Melro voa , Melro voa
Para a luz da noite escura.

Melro voa , Melro voa
Para a luz da noite escura.

Melro cantando na calada da noite
Tome estas asas quebradas e aprender a voar
Toda sua vida
Você só estava esperando por esse momento chegar,
Você só estava esperando por esse momento para levantar-se,
Você só estava esperando por esse momento para levantar-se

Plainsong - The Cure



"I think it's dark and it looks like rain," you said
"And the wind is blowing like it's the end of the world," you said
"And it's so cold it's like the cold if you were dead," and then you smiled for a second.

"I think I'm old and I'm feeling the pain," you said,
"And it's all running out like it's the end of the world," you said
"And it's so cold it's like the cold if you were dead," and then you smiled for a second.

Sometimes you make me feel like I'm living at the edge of the world, like I'm living at the edge of the world.
"It's just the way I smile," you said

Tradução em Português

“Eu penso que está escuro e parece que vai chover”, você disse
"E o vento está soprando como se fosse o fim do mundo", você disse
"E é tão frio como o frio se estivesse morto", e então você sorriu por um segundo.

"Eu acho que estou velho e eu estou sentindo a dor", disse,
"E é tudo a esgotar-se como se fosse o fim do mundo", você disse
"E é tão frio como o frio se estivesse morto", e então você sorriu por um segundo.

Às vezes você me faz sentir como eu estou vivendo no limite do mundo, como eu estou vivendo no limite do mundo.
"É apenas a maneira que eu sorrio", você disse

Live like you were dying



Verse 1
He said I was in my early forties, with a lot of life before me
And one moment came that stopped me on a dime
I spent most of the next days, looking at the x-rays
Talking bout' the options and talking bout' sweet times.
I asked him when it sank in, that this might really be the real end
How's it hit 'cha when you get that kind of news?
Man what did ya do?
He said

Ele disse que eu estava nos meus quarenta e poucos anos, com um monte de vida antes de mim
E veio um momento que me parou em um centavo
Passei a maior parte do dia seguinte, olhando para os raios-x
Talking bout "as opções e as vezes doce falando 'bout.
Perguntei a ele quando ele afundou em que isso poderia realmente ser o final real
Como é isto bate forte quando você receber esse tipo de notícia?
Homem que fez você fazer?
Ele disse:


Chorus
I went skydiving
I went rocky mountain climbing
I went two point seven seconds on a bull named Fu Man Chu
And I loved deeper
And I spoke sweeter
And I gave forgiveness I'd been denyin'
And he said some day I hope you get the chance
To live like you were dyin'
Eu fiz pára-quedismo
Eu fiz escalada de montanha rochosa
Eu fiz 2,7 sete segundos em um touro chamado Fu Man Chu
E eu amei mais
E eu falava mais doce
E eu dei perdão que eu estava negando
E ele disse que alguns dias eu espero que você tem a oprtunidade
Para viver como se estivesse morrendo'


Verse 2
He said I was finally the husband, that most the time I wasn't
And I became a friend, a friend would like to have
And all of a sudden goin' fishin, wasn't such an imposition
And I went three times that year I lost my dad
Well I finally read the good book, and I took a good long hard look
At what I'd do if I could do it all again
And then

Ele disse que eu era, finalmente, o marido, durante mais tempo que eu não era
E tornei-me um amigo, um amigo que gostaria de ter tido
E, de repente ir pescar, não era uma obrigação
E eu fui três vezes esse ano que eu perdi meu pai
Bem, eu finalmente li um livro bom, e eu olhei com olhos de ver
O que eu faria se eu pudesse fazer tudo de novo
E então


Chorus
I went skydiving
I went rocky mountain climbing
I went two point seven seconds on a bull named Fu Man Shu
And I loved deeper
And I spoke sweeter
And I gave forgiveness I'd been denyin'
And he said some day I hope you get the chance
To live like you were dyin'

Eu fiz pára-quedismo
Eu fiz escalada de montanha rochosa
Eu fiz 2,7 sete segundos em um touro chamado Fu Man Chu
E eu amei mais
E eu falava mais doce
E eu dei perdão que eu estava negando
E ele disse que alguns dias eu espero que você tem a oprtunidade
Para viver como se estivesse morrendo'

Like tomorrow was the end
And ya got eternity to think about what to do with it
What should you do with it
What can I do with it
What would I do with it

Como amanhã, fosse o fim
E eu tenho a eternidade para pensar no que fazer com ela
O que você deve fazer com ela
O que posso fazer com ela
O que eu faria com ela

Skydiving
I went rocky mountain climbing
I went two point seven seconds on a bull named Fu Man Chu
And man I loved deeper
And I spoke sweeter
And I watched an eagle as it was flyin'
And he said some day I hope you get the chance
To live like you were dyin'


Pára-Quedismo
Fiz escalada de montanha rochosa
Fiz 2,7 segundos em um touro chamado Fu Man Chu
E sabes, eu amei mais porfundamente
E eu falei mais doce
E eu observava uma águia como se eu estivesse voando
E ele disse que alguns dias eu espero que você tem a oportunidade
Para viver como se estivesse morrendo.

All The Trees Of The Field Will Clap Their Hands

If I am alive this time next year,
will I have arrived in time to share?
And mine is about as good this far.
And I'm still applied to what you are.
And I am joining all my thoughts to you.
And I'm preparing every part for you.

Se eu estiver vivo daqui a um ano,
vou ter chegado a tempo para partilhar?
E o meu é quase tão bom até aqui.
E eu ainda estou aplicado ao que tu és.
E eu estou juntando todos os meus pensamentos para você.
E estou me preparando cada pedaço para você.

And I heard from the trees a great parade.
And I heard from the hills a band was made.
And will I be invited to the sound?
And will I be a part of what you've made?
And I am throwing all my thoughts away.
And I'm destroying every bet I've made.
And I am joining all my thoughts to you.
And I'm preparing every part for you
E ouvi das árvores um grande desfile.
E eu ouvi dos montes uma banda foi feito.
E vou ser convidado para o som?
E vou ser uma parte do que você fez?
E eu estou jogando todos os meus pensamentos.
E eu estou destruindo cada aposta que eu fiz.
E eu estou juntando todos os meus pensamentos para você.
E estou me preparando cada peça para você

quarta-feira, setembro 02, 2009

A História da Maquina Fotográfica OLYMPUS



Este vídeo, é uma peça publicitária. A Olympus tirou mais 60 mil fotos, revelou 9.600 delas e usou 1.800 para montar o filme que você vai ver abaixo.

Segundo a empresa não tem nada de pós-produção. É uma colagem pura e simples. Um show de criatividade.

P.S.: para quem gosta de fotografia este video está espetacular. É que também mostra a evolução da fotografia, do B/W até as fotografias tiradas debaixo de água... para mim está simplesmente FENOMENALLLLL!!!!

terça-feira, setembro 01, 2009

Echo Game



Esta cena do filme está espectacular!!!

Beauty Song Dance - House of Flying Daggers



Adoro este filme e adoro esta musica é linda!!!!