Insecta Shoes

sexta-feira, janeiro 30, 2009

Her morning elegance...

Vi este video neste bolg... e tb ADOREI!!!!

Coincidências

Como se devem ter apercebido eu de momento estou a ler o livro O Profeta do Castigo Divino de Pedro Almeida Vieira (PAV), que fala sobre a venturosa vida de Gabriel Malagrida, o jesuíta que tentou salvar Lisboa do terramoto de 1755 e o livro que li anteriormente foi Três Destinos de Nora Roberts, que girava à volta de três estatuetas (As Moiras – Cloto, Láquesis e Átropos).
E entre estes dois livros não parece haver nada que os ligue, mas acontece que hoje enquanto estava a ler o livro do PAV, encontrei esta passagem, cujo texto vou transcrever:

“E D. João V estava em vésperas de assistir ao corte do seu fio da vida pelas deusas Cloto, Láquesis e Átropos, o que sempre é momento oportuno para um Rei encontrar a fé e tornar-se mais dadivoso”

Quando li este excerto do livro… deu-me um arrepio... não físico mas uma coisa qualquer aconteceu… só pensei que devia de ser uma grande coincidência.

Aqui fica um pouco da história das três deusas:

Na mitologia grega, as moiras eram as três irmãs que determinavam o destino, tanto dos Deuses, quanto dos seres humanos, eram três mulheres lúgubres, responsáveis por fabricar, tecer e cortar aquilo que seria o fio da vida de todos os indivíduos. Durante o trabalho, as moiras fazem uso da Roda da Fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios, as voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada (o topo) ou em sua parte menos desejável (o fundo), explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos. Conta-se que o deus Ares foi o único ser capaz de submeter as moiras à vontade dele; fora esta excepção, elas jamais foram manipuladas, e nada se pode fazer para detê-las, ou ganhar-lhes o favor (até porque as Moiras entendem que o trabalho delas está mesmo acima delas próprias).
As três deusas decidiam o destino individual dos antigos gregos, e criaram Têmis, Nêmesis e as Erínias. Pertenciam à primeira geração divina (os deuses primordiais), e assim como Nix, eram domadoras de deusas e homens.



As moiras eram filhas de Nix (a noite). As várias versões apresentam as Moiras como filhas do Caos, de Érebo, ou ainda de Têmis e Zeus.
Moira, no singular, era inicialmente o destino. Na Ilíada, representava uma lei que pairava sobre deuses e homens, pois nem Zeus estava autorizado a transgredi-la sem interferir na harmonia cósmica. Na Odisseia aparecem as fiandeiras.
O mito grego predominou entre os romanos a tal ponto que os nomes das divindades caíram em desuso. Entre eles eram conhecidas por Parcas chamadas Nona, Décima e Morta, que tinham respectivamente as funções de presidir a gestação e o nascimento, o crescimento e desenvolvimento, e o final da vida; a morte; notar entretanto, que essa regência era apenas sobre os humanos.

Os poetas da antiguidade descreviam as moiras como donzelas de aspecto sinistro, de grandes dentes e longas unhas. Nas artes plásticas, ao contrário, aparecem representadas como lindas donzelas.



As Moiras eram:
Cloto em grego significa "fiar", segurava o fuso e tecia o fio da vida. Junto de Ilítia, Ártemis e Hécata, Cloto actuava como deusa dos nascimentos e partos.
Láquesis em grego significa "sortear" puxava e enrolava o fio tecido, Láquesis actuava junto com Tyche, Pluto, Moros e outros, sorteando o quinhão de atribuições que se ganhava em vida.
Átropos em grego significa "afastar", ela cortava o fio da vida, Átropos juntamente a Tânatos, Queres e Moros, determinava o fim da vida.

Eis o que diz Karl Kerényi, em seu livro OS DEUSES GREGOS,editora Cultrix, 1997, sobre as Moiras:

AS DEUSAS DO DESTINO (MOIRAS)
"Já tive ocasião de dizer que o próprio Zeus sentia um sagrado e respeitoso temor da deusa Noite. Segundo as narrativas dos discípulos de Orfeu, que deixarei para mais tarde, a própria Nyx era uma deusa tríplice. Entre os filhos da Noite figuravam as deusas do Destino, as Moiras. Essa tradição a respeito delas está no nosso Hesíodo, conquanto ele também afirme que as três deusas eram filhas de Zeus e da deusa Têmis. No dizer dos menos antigos devotos de Orfeu, elas viviam no Céu, numa caverna ao pé do lago cuja água branca jorra da mesma caverna: clara imagem do luar. O nome delas, a palavra moira, significa "parte"; e o seu número, explicam os orfistas, corresponde ao das três "partes"da lua; e é por isso que Orfeu canta "as Moiras de vestes alvas".
Conhecíamos as Moiras, como as Fiandeiras, Klothes, embora apenas a mais velha delas se chame Cloto. A segunda se chama Láquesis, "a Distribuidora"; a terceira, Átropos, "a Inevitável".

Homero, na maioria das vezes, só fala numa Moira, uma única deusa fiandeira, que é "forte", difícil de suportar e "destruidora". As Moiras fiam os dias de nossas vidas, um dos quais se torna, inevitavelmente, o dia da morte. O comprimento do fio que elas atribuem a cada mortal é decidido exclusivamente por elas: nem mesmo Zeus pode influir-lhes na decisão. O máximo que pode fazer é pegar as suas balanças de ouro, de preferência ao meio-dia, e verificar – no caso, por exemplo, de dois adversários que se defrontam – qual deles está destinado a morrer naquele dia. O poder das Moiras vem provavelmente de um tempo anterior ao império de Zeus. E elas nem sempre formam uma Trindade: na famosa e antiga pintura de vaso que retrata o casamento da deusa Tétis com o mortal Peleu, vêem-se quatro Moiras. Em Delfos, por outro lado, somente duas eram adoradas: a Moira do nascimento e a Moira da morte. Eram duas quando participaram da batalha contra os Gigantes – na qual brandiam mãos de almofariz feitas de bronze. Os deuses jovens tinham-lhes pouco respeito. Apolo – conta-nos um antigo dramaturgo – embriagou as três deusas grisalhas a fim de salvar seu amigo Admeto do dia aprazado para a sua morte. Dizia-se que elas presenciaram o nascimento do herói Meleagro em casa do rei Eneu. Cloto profetizou que a criança seria de natureza nobre; Láquesis profetizou-lhe a condição de herói; mas Átropos profetizou que ele viveria apenas enquanto durasse o tronco de árvore que naquele momento se achava no fogo. Ouvindo isso, a mãe, Atléia, salvou o tronco das chamas. Dizia-se também que, das três Klothes, Átropos era a de menor estatura, porém a mais velha e a mais poderosa.


Parca
Em Roma, as Parcas (Moiras gregas) eram três deusas: Nona (Cloto), Décima (Láquesis) e Morta (Átropos). Determinavam o curso da vida humana, decidindo questões como vida e morte, de maneira que nem Júpiter (Zeus) podia contestar suas decisões. Nona tecia o fio da vida, Décima cuidava de sua extensão e caminho, Morta cortava o fio.

Eram também designadas fates, daí o termo fatalidade.



Interessante notar que em Roma se tinha a estrutura de calendário solar para os anos, e lunar para os actuais meses. A gravidez humana é de nove luas, não nove meses; portanto Nona tece o fio da vida no útero materno, até a nona lua; Décima representa o nascimento efectivo, o corte do cordão umbilical, o início da vida terrena, o indivíduo definido, a décima lua. Morta é a outra extremidade, o fim da vida terrena, que pode ocorrer a qualquer momento.


Cloto
A mais jovem das Moiras, mas uma das mais velhas deusas da mitologia grega. Filha de Zeus e Têmis. Cada moira tinha um certo trabalho, fosse fiando o fio da vida, definindo seu cumprimento ou cortando-o. Cloto era quem tecia o fio. O cumprimento era que determinava quanto tempo uma pessoa viveria. Alguns relatos dizem que Cloto era filha da Noite, com isso indicando a escuridão e a obscuridade do destino humano. Ninguém sabe com certeza quanto poder Cloto e suas irmãs tinham, entretanto elas frequentemente desobedeciam Zeus, o regente e outros deuses. Por alguma razão, os deuses pareciam obedecê-las, talvez porque o destino possui grande poder, ou como algumas fontes sugerem, a sua existência é parte da ordem do Universo e isso os deuses não podem perturbar.



Láquesis
"A que dispõe", uma das três Moiras. Ela mede o cumprimento do fio da vida humana tecido por Cloto e determina o seu destino.



Átropos
Uma das três Moiras. Era ela quem cortava o fio da vida tecido por Cloto e mesurado por Láquesis. Era também conhecida como "a inflexível" e "a inevitável". Era filha de Zeus e Têmis (a deusa da ordem).

The prestige - O terceiro Passo

Na passada quarta-feira à noite estive em casa a ver este filme... gostei bastante!!!!

quarta-feira, janeiro 28, 2009

Três Destinos - Nora Roberts

Comecei a ler o livro no dia 20/01/2009 e acabei no dia 28/01/2009


Sinopse

No preciso instante em que o paquete Lusitânia inicia o seu dramáticos mergulho para o abismo, Felix Greenfield encontra-se na cabina de Henry W. Wyley, com o objectivo de aí roubar uma das três estatuetas conhecidas pela designação Três Destinos. Quando se apercebe do que está a passar-se, Greenfield guarda a estatueta no bolso, consegue ainda salvar duas outras pessoas, e faz uma jura: a de que, se acaso conseguir escapar com vida àquele naufrágio, dará início a uma vida nova. Greenfield salvar-se-á de facto, irá viver para a Irlanda, dando origem à família Sullivan. Quase um século depois, a estatueta, que se mantivera na posse dos seus descendentes, é-lhes roubada por uma arrivista. Malachi, Gideon e Rebecca, os três irmãos Sullivan, decidem então unir esforços, para recuperar a estatueta perdida, localizar as outras duas, e realizar com isso uma fortuna.



Acabei de ler este maravilhoso livro... a Nora Roberts não desilude em nada... É a MELHOR!!!!

Gostei bastante.. foi feita justiça...e não conto mais nada

terça-feira, janeiro 27, 2009

Meet Joe Black

Ontem, à noite, depois de vir da minha consulta dos 3 meses pós-operação aos olhos, tive que ir com a minha mãe à Worten... e ao andar a dar uma vista de olhos (com óculos de sol, por causa da dilatação, lol sim imaginem-me às 21:00 dentro de um supermercado com óculos de sol… parecia uma “ceguinha”) pelos DVD’s encontrei este excelente filme… que é super antigo, eu só tinha em cassete e ainda por cima a um preço espectacular 4,90€… tive que o comprar logo rsrsrsrs….




E então passei a noite a ver o filme e a chorar “baba e ranho”, do princípio ao fim, desde o momento que o "Brad Pitt" morre atropelado até à altura que a Morte parte com o pai dela e o "Brad Pitt" volta para ela. ;)



É um dos meus filmes favoritos… quem mais gosta?

domingo, janeiro 25, 2009

Bolo de Laranja

Ingredientes:

120g de Farinha
1 colher de chá de fermento
180g de Açúcar
Sumo de 2 Laranjas e a raspa
3 Ovos

Preparação:

1 – Bata as gemas com o açúcar.
2 – Junte a farinha, o fermento, o sumo de uma laranja e a raspa
3 – Junte as claras em castelo
4 – Leve ao forno numa untada com margarina e polvilhada com farinha

Cobertura do Bolo
1 – Leve ao lume 150g de açúcar pilé com 2dl de água até tomar ponto fraco.
2 – Junte o sumo da outra laranja.
3 – Deite este ponto por cima do bolo e alise.

sábado, janeiro 24, 2009

Bolo de Limão

Ingredientes:

250g de Vaqueiro
250g de Açúcar
250g de Farinha
5 ovos
raspa da casa de 2 limões
2 colheres de café de fermento em pó
1 pitada de sal

Para regar o bolo:
1 dl de sumo de limão
100g de Açúcar em pó



Preparação:

1 – Bata 250g de margarina e 250g de açúcar até obter um creme.
2 – Adicione 5 ovos e a raspa da casca de 2 limões.
3 – Peneire 250g de farinha, 2 colheres de café de fermento em pó e 1 pitada de sal.
4 – Incorpore na mistura anterior e deite o preparado numa forma de bolo inglês (28 a 30 cm) bem untada com margarina.
5 – Leve a cozer em forno médio (180º C) durante 60 a 65 m.
6 – Deixe arrefecer o bolo na forma durante alguns minutos.
7 – Pique-o com um palito e regue-o com a seguinte mistura: misture bem 1 dl de sumo de limão e 100g de açúcar em pó.
8 – Desenforme o bolo depois de frio.

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Queen Of The Damned trailer

Na sequência de ler a trilogia "Crepúsculo", "Lua Nova" e "Eclipse", ontem tive vontade de ver um filme sobre Vampiros... e a minha escolha recaiu sobre este filme...


quinta-feira, janeiro 22, 2009

The Killers- Human

Hoje de manhã, enquanto ia de carro até à paragem do autocarro, ouvi na Rádio Comercial, os apresentadores dizerem que gostavam muito desta musica...



E eu também A-D-O-R-O !!!!

quarta-feira, janeiro 21, 2009

Eclipse

Comecei a ler no dia 13/01/2009 e acabei no dia 20/01/2009.



Sinopse
Ao mesmo tempo que Seattle é assolada por uma série de mortes inexplicáveis e um malicioso vampiro continua a sua busca por vingança, mais uma vez Bella encontra-se rodeada por perigo em Eclipse, o terceiro volume da saga de Luz e Escuridão. No centro de tudo, ela é forçada a escolher entre o seu amor por Edward e a sua amizade com Jacob, sabendo que a sua decisão poderá atiçar a luta intemporal entre vampiro e lobisomem. Com o final do liceu a aproximar-se rapidamente, Bella tem mais uma decisão a tomar: vida ou morte. Mas, qual é qual?

The Curious Case of Benjamin Button

Ontem fui ao cinema ver este filme com o M.



Adorei ;D



Esta é a história invulgar de um homem que nasce com 80 anos e regride na sua idade; um homem que, como qualquer um de nós, é incapaz de parar o tempo. Durante a sua invulgar viagem, conhecemos as pessoas e os lugares que Benjamin descobre ao longo do seu caminho, dos seus amores, alegrias da vida e da tristeza da morte, e daquilo que dura para além do tempo.

terça-feira, janeiro 20, 2009

Livros Lidos em 2008

Estes foram os livros lidos por mim em 2008, acho que foi um bom número ;D!!!



1 - "A Filha da Minha Melhor Amiga" – Dorothy Koomson (10/01/2008 - 20/01/2008)
2 - "O Clube dos Poetas Mortos" – N. H. Kleinbaum (21/01/2008 - 22/01/2008)
3 - "O Sétimo Selo" – José Rodrigues dos Santos (23/01/2008 - 28/01/2008)
4 - "Absolutamente Glamorosas!" – Cinzia Felicetti (28/01/2008 - 31/01/2008)
5 - "Baudolino" – Umberto Eco (31/01/2008 - 09/02/2008)
6 - "Jerusalém" – Gonçalo M. Tavares (09/02/2008 - 17/02/2008)
7 - "O Confessor" – Daniel Silva (17/02/2008 - 19/02/2008)
8 - "Terapia de Choque" – Sebastian Fitzek (20/02/2008 - 27/02/2008)
9 - "Vida de Adulto" – Pedro Paixão (28/02/2008 - 29/02/2008)
10 - "O Livro do Destino" – Brad Meltzer (01/03/2008 - 11/03/2008)
11 - "Um Longo Domingo de Noivado" – Sébastien Japrisot (11/03/2008 - 21/03/2008)
12 - "Nunca Me Deixes" – Kazuo Ishiguro (21/03/2008 - 29/03/2008)
13 - "Copper – Uma Vida de Cão" – Annabel Goldsmith (29/03/2008 - 01/04/2008)
14 - "Morte em Viena" – Daniel Silva (01/04/2008 - 12/04/2008)
15 - "Expiação" – Ian McEwan (12/04/2008 - 29/04/2008)
16 - "Levado pelo Mar" – Nora Roberts (29/04/2008 - 04/05/2008)
17 - "Marés Altas" - Nora Roberts (04/05/2008 - 10/05/2008)
18 - "P.S. – Eu amo-te" – Cecelia Ahern (10/05/2008 - 18/05/2008)
19 - "A Hora da Morte" – Lisa Gardner (18/05/2008 - 27/05/2008)
20 - "A Cor da Paixão" – Sveva Casati Modignani (28/05/2008 - 31/05/2008)
21 - "Mentiras e Traições" – Nora Roberts (01/06/2008 - 16/06/2008)
22 - "A Rainha da Liberdade" – Christian Jacq (16/06/2008 - 22/06/2008)
23 - "Orgulho e Preconceito" – Jane Austen (22/06/2008 - 27/06/2008)
24 - "A Caixa da Borboleta" – Santa Montefiore (28/06/2008 - 07/07/2008)
25 - "Memórias de uma Gueixa" – Arthur Golden (09/07/2008 - 22/07/2008)
26 - "Começar de Novo" – Margarida Fonseca Santos (23/07/2008)
27 - "Inês de Portugal" – João Aguiar (24/07/2008 - 26/07/2008)
28 - "49 233$00 de telefone " - Isabel Stilwell (26/07/2008 - 27/07/2008)
29 - "A Metamorfose" - Frank Kafka (27/07/2008 - 28/07/2008)
30 - "O Perfume" - Patrick Süskind (28/07/2008 - 30/07/2008)
31 - "O Jardim Encantado" – Sarah Addison Allen (30/07/2008 - 03/08/2008)
32 - "O Lado Selvagem" – Jon Krakauer (03/08/2008 - 08/08/2008)
33 - "A Estrela de Gonçalo Enes" – Rosa Lobato Faria (08/08/2008 - 11/08/2008)
34 - "O Deus das Pequenas Coisas" – Arundhati Roy (11/08/2008 - 16/08/2008)
35 - "Receitas de Amor" – Anthony Capella (16/08/2008 - 19/08/2008)
36 - "Diário Africano" – Bill Bryson (20/08/2008)
37 - "Cântico de Natal" – Charles Dickens (21/08/2008)
38 - "Assassínio no Parque" – Ellery Queen (22/08/2008 - 26/08/2008)
39 - "A Feira dos Assombrados" – José Eduardo Agualusa (26/08/2008 - 27/08/2008)
40 - "Marley e Eu" - John Grogan (28/08/2008 - 04/09/2008)
41 - "Herbert West: Reanimador" - H.P. Lovecraft (05/09/2008 - 06/09/2008)
42 - "Ivanhoe" – Walter Scott (06/09/2008 - 11/09/2008)
43 - "A Chama Pura de William Blake" - Tracy Chevalier (11/09/2008 - 18/09/2008)
44 - "Dama de Espadas" - Puskine (18/09/2008)
45 - "O Rapaz Perdido" - Thomas Wolfe (19/09/2008)
46 - "Morte no Nilo" – Agatha Christie (20/09/2008 - 24/09/2008)
47 - "Assassínio na Mesopotâmia" – Agatha Christie (25/09/2008 - 30/09/2008)
48 - "Véu Pintado" – Somerset Maugham (30/09/2008 - 03/10/2008)
49 - "Comer, Orar, Amar" – Elizabeth Gilbert (04/10/2008 - 13/10/2008)
50 - "Viagem sem Regresso" – Katy Gardner (13/10/2008 - 23/10/2008)
51 - "Quatro Amigas e um Par de Calças de Ganga" – Ann Brashares (23/10/2008 - 28/10/2008)
52 - "O Último Papa" – Luis Miguel Rocha (28/10/2008 - 03/11/2008)
53 - "Depois de Tu Partires" – Maggie O' Farrell (03/11/2008 - 10/11/2008)
54 - "Um Homem de Sorte" – Nicholas Sparks (10/11/2008 - 15/11/2008)
55 - "Como Água para Chocolate" – Laura Esquível (17/11/2008 - 18/11/2008)
56 - "Viver o Amor" – Osho (18/11/2008 - 27/11/2008)
57 - "A Vida Amorosa de uma Mulher" – Zeruya Shalev (27/11/2008 - 06/12/2008)
58 - "Crepúsculo" - Stephenie Meyer (7/12/2008 - 16/12/2008)
59 - "b-a-ba Templários" - Bernard Marillier (17/12/2008 - 18/12/2008)
60 - "Cão Vermelho" – Louis de Bernières (19/12/2008)
61 - "Prémios Darwin" – Wendy Northcut (19/12/2008 - 24/12/2008)
62 - "A Sombra do Vento" – Carlos Ruiz Zafón (25/12/2008 - 09/01/2009)

Mensagem de Obama às filhas

"Querida Malia e Sasha,

Eu sei que vocês duas se divertiram muito nestes últimos dois anos nos roteiros da campanha, indo aos piqueniques e às paradas e feiras de Estado, comendo todos os tipos de porcarias que eu e sua mãe provavelmente não deveríamos tê-las deixado comer. Mas eu também sei que nem sempre foi fácil para vocês e para sua mãe, e que por mais alegres que estejam agora com o novo cachorrinho, isto não compensa todo o tempo que estive à parte em suas vidas. Eu sei o quanto estive ausente neste últimos dois anos e hoje eu quero contar a vocês um pouco mais sobre o porquê decidi colocar a nossa família nessa jornada.
Quando eu era jovem, pensava que a vida girava toda em torno de mim e de como eu abriria meu caminho no mundo, me tornando bem-sucedido e conseguindo as coisas que eu queria. Mas então vocês entraram no meu mundo com toda a curiosidade e as travessuras, e esses sorrisos que nunca falham em encher meu coração e em alegrar meu dia. De repente, os grandes planos que tinha para mim deixaram de parecer importantes. Me dei conta de que minha própria vida não valeria muito a menos que pudesse garantir que vocês possam aproveitar cada oportunidade que tiverem. No fim, meninas, essa é a razão pela qual eu corri para a presidência: por causa do que eu quero para vocês e para cada criança nesta nação.

Eu quero que todas as crianças possam ter acesso a escolas dignas de seu potencial, que as desafiem, as inspirem e as instiguem sobre o mundo ao seu redor. Quero que elas tenham oportunidade de ingressar em uma universidade, mesmo que seus pais não sejam ricos. E eu quero que elas tenham bons empregos: Empregos que paguem bem e que lhes dêem benefícios como seguro saúde, empregos que lhes deixe ter tempo para os filhos e para se aposentar com dignidade.



Quero que impulsionemos os limites de descoberta e a forma de ver as novas tecnologias e invenções que melhoram nosso modo de vida e torna nosso planeta mais limpo e seguro. E eu quero que impulsionemos os próprios limites humanos para alcançar além do que divide raças e regiões, géneros e religiões que nos mantêm vendo o que há de melhor em cada um.

Algumas vezes temos que enviar nossos jovens à guerra e a outras situações perigosas para proteger o nosso país - mas quando fizermos isso, eu quero ter certeza de que será somente por uma boa causa, que nós demos o nosso melhor para liquidar nossas diferenças com os outros de forma pacífica, e que fizemos tudo que foi possível para manter nossos militares e mulheres seguros. E eu quero que todas as crianças entendam que a luta destes bravos americanos não é em vão, que com o grande privilégio de ser um cidadão deste país, vem uma grande responsabilidade.

Essa é a lição que a sua avó tentou me ensinar quando eu tinha a idade de vocês, lendo para mim as linhas de abertura da Declaração de Independência e contando-me sobre os homens e mulheres que marcharam para igualdade porque acreditavam que estas palavras colocadas no papel há dois séculos deveriam ter um significado.



Ela me ajudou a entender que a América é grande não porque é perfeita, mas porque podemos fazer sempre melhor, e que o aprimoramento dessa obra inacabada depende de cada um de nós. É nosso dever transmitir isto aos nossos filhos, nos aproximando de cada nova geração, para que saibam como a América deveria ser.

Espero que vocês trabalhem corrigindo os erros que encontrarem e trabalhem no sentido de dar aos outros a oportunidade que vocês tiveram. Não só porque vocês têm uma obrigação de devolver o que este país tem dado a nossa família. Mas porque vocês têm essa obrigação com vocês mesmas. Porque é somente quando tentamos fazer algo realmente grande que sabemos nosso verdadeiro potencial.

É isso que eu quero para vocês — crescer em um mundo sem barreiras para os seus sonhos e realizações, crescer com compaixão, como mulheres que irão ajudar a construir esse mundo. E eu quero que cada criança tenha as mesmas oportunidades de aprender, sonhar, crescer e prosperar como vocês. É por isso que eu embarquei a nossa família nesta grande aventura.

Estou muito orgulhoso de vocês duas. Eu amo vocês mais do que jamais pude imaginar. E agradeço todos os dias pela paciência, graça e humor de vocês para que nos preparássemos para iniciar nossa nova vida juntos na Casa Branca.

Amor, Papa"

Barack Obama toma posse como Presidente dos Estados Unidos

Barack Obama toma hoje posse como 44.º Presidente dos Estados Unidos da América. As cerimónias vão decorrer em Washington e tudo leva a crer que deverá ser batido um recorde com quase meio século quando em 1963 um milhão e 200 mil pessoas estiveram no National Mall para assistir à tomada de posse de Lyndon Johnson

Chegou o grande dia que a maioria dos americanos aguardava, o da tomada de posse do primeiro Presidente norte-americano negro. Barack Obama vai viajar da Casa Branca para o Capitólio, local onde irá fazer o juramento, regressando depois à residência oficial numa grande parada através da Pennsylvania Avenue.

Recessão, encerramento da prisão de Guantanamo, retirada das tropas do Iraque, reforços no Afeganistão e crise no Médio Oriente são apenas alguns dos desafios com que Obama se irá confrontar a partir de hoje, o dia 1 como Presidente dos Estados Unidos.

As cerimónias da tomada de posse de Barack Obama prolongam-se por quatro dias tendo ontem, segundo dia das comemorações, Obama e o vice-presidente eleito, Joe Biden, acompanhados das respectivas mulheres, cumprido obrigações em actividades ligadas às comunidades e em memória de Luther King, o líder negro assassinado cujo nascimento foi assinalado ontem com um feriado.



Na noite de ontem realizaram-se três banquetes em honra de três cidadãos norte-americanos que, segundo se pode ler nos convites de apresentação, "consagraram as suas vidas ao serviço público, sem espírito partidário". São eles o senador republicano John McCain, adversário derrotado por Obama nas presidenciais, o general Colin Powell, antigo secretário de Estado de George W. Bush e actual apoiante do futuro presidente, e o vice-presidente eleito Joe Biden.

Batido recorde de quase meio século

O mundo irá assistir hoje certamente à queda de um recorde de quase meio século quando em 1963 um milhão e 200 mil pessoas estiveram no National Mall para assistir à tomada de posse de Lyndon Johnson.

Hoje, no grande dia das cerimónias de tomada de posse de Barack Obama, são esperadas cerca de dois milhões de pessoas em Washington, quer para assistirem à cerimónia, quer para participarem na parada que assinala o dia.

A cerimónia de investidura propriamente dita inicia-se às 10 horas locais, quando em Lisboa forem três da tarde, na rua frente ao Capitólio, sede do Congresso norte-americano, com Barack Obama a prestar juramento ao meio-dia, 17 horas em Lisboa, colocando a sua mão direita sobre a Bíblia de Abraham Lincoln, após o qual irá pronunciar o discurso de investidura.

Pelas 14.30 horas locais, 19.30 horas em Lisboa, após a tomada de posse, Obama fará um percurso de pouco mais de 2,5 quilómetros desde a Congresso até à sua nova residência, a Casa Branca, naquele que é o momento mais esperado da cerimónia de posse.

A parte da tarde será preenchida ainda com um desfile composto por bandas e fanfarras de todo o país até à Casa Branca seguindo-se à noite dez bailes "oficiais" e dezenas de outros em honra do casal presidencial.

Para amanhã de manhã, último dia das celebrações, o Presidente, o vice-presidente e respectivas famílias assistem a um serviço religioso na catedral de Washington.

A noite de todos os bailes

Washington vai ter hoje uma noite bem diferente com uma multidão a invadir a cidade para poderem participar numa série de bailes comemorativos da posse do novo presidente.

A tradição será mantida por Barack Obama e a esposa Michelle, convidados de honra em dez festas em que estarão presentes políticos, estrelas de Hollywood e as mais variadas celebridades.

Nessa maratona de dança o casal presidencial irá de festa em festa para marcar presença e dançar, pelo menos, uma música, como é da praxe.

Os bailes/recepções são organizadas por cada região do país, desde o Oeste, ao Leste e ao Sul e também dos Estados ligados a Obama, o de Illinois onde era senador e do Havai onde nasceu, e também ao Estados ligados vice-presidente eleito Joe Biden, Delaware e Pensilvânia.

Haverá ainda lugar para uma festa dos militares e outra para a juventude, esta última reservada a quem tiver entre 18 e 35 anos, uma faixa da população que foi fundamental na vitória de Obama nas eleições.

Uma das promessas de Obama foi tornar as cerimónias de posse mais acessíveis a todos, o que se considera uma inovação na tradição dos bailes presidenciais, pelo que haverá lugar à organização de um "baile de bairro", gratuito para os residentes de Washington apesar das entradas reservadas.

segunda-feira, janeiro 19, 2009

SIM! - Yes Man trailer

No Sábado, fui ao cinema com a minha mana M. e com o nosso pai, ver este filme... bem recomendo irem ver este filme é uma lição de vida ;)! Existem varias oportunidades ao dizermos uma simples palavra... S-I-M !!!

Muito divertido.. só como o Jim Carrey sabe ser!!!




Yes Man is a 2008 American comedy film directed by Peyton Reed and starring Jim Carrey. The film is based on the true story and 2005 book The Yes Man by British humourist Danny Wallace (who has a brief cameo in the film). Production began in Los Angeles, CA in October 2007.



Carl (Jim Carrey) is a divorced middle-aged man in Los Angeles who spends his days working as a junior loan approval officer in a bank, supervised by his immature manager Norman (Rhys Darby). Routinely declining social engagements so as to avoid meeting his ex-wife Stephanie (Molly Sims) with her new boyfriend, he has grown used to spending his evenings watching DVDs alone in his apartment while ignoring his friends' phone calls. Only complicating things is when he forgets the engagement party for his best friend, Peter (Bradley Cooper). Shortly thereafter, Carl comes across Nick (John Michael Higgins), an old co-worker who seems to have completely changed. Aware of Carl's personality, Nick persuades him that he needs to start living again and takes Carl to a motivational seminar called "Yes!" where Carl is publicly accosted by inspirational guru Terrence Bundley (Terence Stamp). Browbeaten into making a covenant with himself, Carl promises to stop being a "No Man" and to answer "Yes!" to every opportunity, request, or invitation that presents itself thereafter.

After the seminar, a homeless man asks Carl for a ride to Elysian Park. Although Carl's instinct is to say no, Nick intervenes, reminding Carl that the proper answer is yes. During the drive, the homeless man asks to borrow Grant's cell phone (Carl again agrees) and wears out the battery making calls. When they reach their destination, the man asks for the cash in Carl's wallet (which Carl reluctantly gives), but then Carl discovers that his car has run out of fuel. With his phone battery dead, he hikes to a gas station several miles away, where he meets Allison(Zooey Deschanel). She takes pity on him and gives him a hair-raising scooter ride back to his car. Emboldened by her spontaneity and by a newfound sense of possibility, Carl rhetorically asks Allison if she wants to make out, which he expects her to refuse, but, to his surprise, she kisses him.

After this positive start, Carl continues saying "yes." After he wins a promotion at the bank for agreeing to work on a Saturday, he goes out to celebrate with his friends, gets very drunk, impetuously kisses a girl, and becomes involved in a comic fistfight with her boyfriend (he luckily escapes injury). But when he agrees to erect some shelving for his elderly neighbor Tillie (Fionnula Flanagan), and she proposes to reward him sexually, Carl is horrified. He declines and attempts to leave her apartment—but he gets his shirt stuck in the door, falls down the stairs after freeing himself, and almost gets mauled by a guard dog. Terrified that he has broken the "Yes!" covenant, Carl returns to his neighbor's apartment, where he allows her to perform oral sex on him.

After this brush with his old "No Man" self, Carl now commits himself to taking absolutely every opportunity that comes his way—he begins flying lessons, attends Korean language classes, learns to play the guitar, and even says yes when he receives spam from a Persian dating website. As before, saying yes works to Carl's advantage. When he accepts concert tickets from a promoter whom he has previously ignored, he sees a band whose lead singer turns out to be Allison. Although the band is dreadful and the audience tiny, Carl is again charmed by Allison's spontaneity and idiosyncrasy. She invites him to the unconventional class that she teaches in the park in the mornings, which combines photography with jogging, and the two begin dating.



At work, Carl has been approving every loan application that crosses his desk, but this seemingly reckless approach to lending wins him a promotion to executive after it opens new territory for the bank in the area of microcredit. He even agrees to attend one of Norman's costume parties, where everyone comes dressed as Harry Potter characters (Carl and Allison dress as Harry Potter and Hermione Granger). Carl's newfound talents also prove fruitful when it comes to saving a man (Luis Guzman) from committing suicide: as the man stands on a ledge outside a tall building, Carl discovers an acoustic guitar in the man's apartment and plays Third Eye Blind's song "Jumper" to persuade the man to return inside.

As their relationship blossoms, Carl and Allison meet at the airport for a spontaneous weekend away. Having decided to take the first plane out of town, they end up in Lincoln, Nebraska, where they explore the Frank H. Woods Telephone Museum, attend a college football game, and go skeet shooting. As they shelter from the rain in a barn before their departure, Allison asks Carl to move in with her. He hesitates, but says yes anyway. But while checking in for the return flight, Carl is detained by FBI agents, who have profiled him as potential terrorist because he has taken flying lessons, studied Korean, approved a loan to start a fertilizer company, been married for six months three years previously, and bought plane tickets at the last minute.

Carl calls his best friend Pete, a lawyer, who travels to Nebraska to explain that Carl is not a terrorist—his odd potpourri of habits, lessons, and decisions stem from his commitment to saying yes to everything. At this point, Allison finds out about Carl's motivational covenant, and begins to doubt whether his commitment to her was ever sincere. She also finds out about Carl's marriage and divorce, which he had not mentioned to her previously. Deciding that she can no longer trust a man who is obliged to say yes to everything, regardless of his true feelings, Allison leaves Carl at the airport. Carl repeatedly tries to contact her, but to no avail.

In a vain effort to speak with Allison, Carl attends another of her band's concerts, where she indirectly tells him to jump off a bridge. In response, Carl signs up to do a bungee jump. While dangling from the bridge after the jump, he receives a phone call from the bank's vice president, saying that he must fire his old boss Norman. He tries to keep a positive mindset—he goes through with the bridal shower he has agreed to organize for Pete's fiancée, and even setting Norman up with Soo-Mi (Vivian Bang), a Korean wedding planner whom he met when planning the shower.

While he is broken up with Allison, Carl gets a tearful phone call from his ex-wife Stephanie, whose boyfriend has walked out on her. Carl goes to Stephanie's apartment to comfort her, but she kisses him passionately and asks whether they can get back together. After Carl emphatically says no, his luck takes a turn for the worse: The elevator in which he tries to leave Stephanie's building almost snaps free of its cable, a black cat crosses his path, and his car gets clamped and towed. He has a momentary hallucination in which the tow-truck operator metamorphoses into himself, and starts to chant "No Man, No Man, No Man."

In desperation, Carl decides to track down Terrence Bundley so that he can be released from the "Yes!" covenant. After lying in wait for Bundley in the backseat of his convertible, Carl emerges after the car pulls off, and tries to plead with the guru. However, Bundley is so shocked that he drives through an intersection without stopping, and collides with an oncoming vehicle. Carl awakes some hours later in the hospital, only for an irate Bundley to tell him that there really wasn't any covenant, and that he wasn't supposed to take saying yes so literally. The point of the covenant was only to open Carl's mind to other possibilities, not to take away his ability to say no when he needed to. Freed from this restraint, Carl borrows a Ducati motorcycle from a male nurse who bought it with one of Carl's loans. He rides the motorcycle to Allison's morning class, wearing nothing but a hospital gown. He apologizes, admits that he does not want to move in with her just yet, but tells her that he genuinely loves and wants her—and has been with her not just because he is compelled to say yes. The couple kiss passionately while the amateur photographers capture the moment.

At the end of the movie, Carl and Allison make a rather large donation of clothes to a local homeless shelter. Cutting to the scene of the Yes! seminar, Bundley is surprised when he walks on stage to several hundred naked audience members. It is implied that the participants have said Yes! to donating their clothes to charity.

In a scene during the credits Carl and Allison try on a new body skating outfit designed by a man he had previously denied a loan early in the film. They zip down a large hill at high speeds laughing all the way.

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Mais trabalhos em Origami ;D


Rã Saltitona



Porta Moedas



Moldura



Moldura 2



Moinho de Vento



Maquina Fotográfica



Coelho



Caixinhas



Caixa de prenda

Ainda existem Milagres !!!!

A sobrevivência das 155 pessoas que estavam no voo 1549 da US Airlines que fez um pouso forçado no Rio Hudson, em Nova York, foi "um milagre", segundo o governador do Estado, David Peterson. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, também elogiou a "perícia e o heroísmo" da tripulação do avião.
Em comunicado distribuído pela Casa Branca, Bush afirmou que supervisiona a situação e seu governo se mantém em contato com as autoridades estaduais e locais para responder ao acidente.
Bush informou que ele e a esposa, Laura, se sentem "encorajados com a perícia e o heroísmo da tripulação, assim como a dedicação e a abnegação das equipes de emergência e dos voluntários que resgataram os passageiros das águas geladas do Hudson".
— Enviamos nossos pensamentos e nossas orações a todos os envolvidos no acidente. Foi um milagre. Evitou-se um acidente que potencialmente poderia ter sido muito trágico — disse o governador de Nova York.
O Airbus A320, havia decolado do aeroporto de La Guardia com destino a Charlotte, na Carolina do Norte. Segundo testemunhas, houve uma explosão (possivelmente causada pelo choque com pássaros) logo após a decolagem, e menos de cinco minutos após sair do chão o avião já pousava na água, de forma estável.
Para os passageiros que sobreviveram ao susto, o piloto do avião teve uma atuação fundamental e heróica, garantindo a ausência de vítimas.
— De repente, o capitão nos disse para nos segurarmos. Ele fez um trabalho fantástico. Parabéns para ele pelo pouso — disse Jeff Kolodjay, um dos passageiros do avião, à rede de TV CNN.
— Já voei em muitos aviões, e este pouso foi fenomenal — disse o passageiro Fred Berretta, que estava sentado ao lado das turbinas na hora do acidente.
Segundo ele, um grande silêncio tomou o avião antes do pouso.



O herói
Segundo a CNN, o piloto Chelsey B. "Sully" Sullenberger estava no comando da aeronave. A mulher dele disse à TV que recebeu uma ligação dele após o acidente, e que o piloto estava tranqüilo. Segundo testemunhas, Sullenberger disse aos passageiros que havia perdido força nos motores e que não seria possível retornar ao aeroporto, por isso pousaria no rio.
O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, declarou que o piloto garantiu que todos os passageiros tinham sido resgatados antes de deixar a aeronave:
— Aparentemente ele fez um trabalho de mestre ao pousar no rio e garantir que todos saíssem do avião. Conversei longamente com ele, que garantiu ter checado toda a aeronave em busca de pessoas antes de sair do local.
Avião foi rebocado
Bloomberg disse que ainda é cedo para especular sobre as causas do acidente. O avião foi rebocado e vai ser analisado para que se descubra o que fez as turbinas pararem de funcionar.
O prefeito afirmou que nenhum passageiro teve ferimentos graves. Segundo a CNN, um dos principais problemas dos sobreviventes levados ao hospital era hipotermia por conta da baixa temperatura da água do rio. Com informações do site G1.



NOVA YORK - Nova York tem mais um herói. E digno dos maiores sucessos de Hollywood. Chelsey Sullenberger, conhecido como Sully, é o piloto do avião da US Airways que caiu no rio Hudson, na tarde desta quinta-feira em Nova York. Ele conseguiu fazer o avião avariado pousar nas águas do rio com 150 passageiros e mais cinco tripulantes a bordo sem provocar nenhuma morte.
Entrevistada pela rede CNN, a mulher de Sullenberger, Lori, disse que o marido ligou para ela logo após ser resgatado. "Estou em estado de choque. Eu não estava acompanhando o noticiário, até que ele me ligou. Sempre ouvi Sully falar com amigos de que era raro para um piloto ter um incidente em sua carreira. Quando ele me ligou e disse que havia ocorrido um acidente pensei que era algo menor, mas quando ele me contou as circunstâncias, meu corpo começou a tremer e fui rapidamente buscar minhas filhas na escola", contou.
Ex-piloto de caça da Força Aérea dos Estados Unidos, Sully tem mais de 40 anos de experiência em vôo. Segundo o Safety Reliability Methods, ele serviu como instrutor e diretor de segurança da associação de pilotos de vôo (ALPA, na sigla em inglês), investigador de desastres e membro do comitê técnico nacional. Participou de diversas investigações de desastres na Força Aérea americana e na Comissão Nacional de Segurança de Transporte (NTSB).
Seu trabalho em segurança levou à elaboração de um documento circular da Administração Federal da Aviação (FAA, na sigla em inglês). Em trabalho com cientistas da agência espacial Nasa, escreveu um documento sobre contextos que induzem a erros na aviação.
Sully participou do desenvolvimento e implementação da Gerência de Recursos de Equipe (CRM, em inglês), curso usado em sua linha aérea e lecionou para centenas de colegas. Ele se formou na Academia da Força Aérea americana, Universidade Purdue e na Universidade do Colorado do Norte.
O piloto foi palestrante em dois painéis da Conferência Internacional de Organizações de Alta Confiabilidade (HRO, em inglês), realizada em 2007 em Deauville, França. Ele recentemente foi nomeado acadêmico visitante na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

quinta-feira, janeiro 15, 2009

New Moon Trailer

Só um cheirinho ... para aguçar os nossos sentidos ;)!!!

Lua Nova - Stephenie Meyer

Comecei a ler dia 10/01/2008 e acabei no dia 13/01/2008.




Sinopse
Para Bella Swan, existe algo mais importante do que a própria vida: Edward Cullen. Porém, estar apaixonada por um vampiro é ainda mais perigoso do que alguma vez poderia ter imaginado. Edward já salvou Bella das garras de um vampiro maléfico, mas agora, à medida que a sua destemida relação ameaça tudo o que se encontra por perto e todos os que lhes são queridos, eles apercebem-se de que os seus problemas podem estar apenas a começar...

Legiões de leitores, arrebatados por Crepúsculo, best-seller de New York Times, estão ansiosos pela continuação da história dos amantes perseguidos pela má sorte, Bella e Edward. Em Lua Nova, Stephenie Meyer assina outra irresistível combinação de romance e suspense com um toque sobrenatural. Apaixonante, fascinante e cheia de surpreendentes reviravoltas, esta saga amorosa de vampiros caminha a passos largos para a imortalidade literária.

terça-feira, janeiro 13, 2009

segunda-feira, janeiro 12, 2009

A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón

Comecei a ler o livro no dia 25/12/2008 e acabei no dia 09/01/2009.



Sinopse

Prémio Correntes d' Escritas / Casino da Póvoa 2006
Uma história inesquecível sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros.

Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, "A Sombra do Vento" é sobretudo uma trágica história de amor cujo o eco se projecta através do tempo. Com uma grande força narrativa, o autor entrelaça tramas e enigmas ao modo de bonecas russas num inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, numa intriga que se mantém até à última página.

Excerto
"Ainda me lembro daquele amanhecer em que o meu pai me levou pela primeira vez a visitar o cemitério dos Livros Esquecidos. Desfiavam-se os primeiros dias do Verão de 1945 e caminhávamos pelas ruas de uma Barcelona apanhada sob céus de cinza e um sol de vapor que se derramava sobre a Rambla de Santa Mónica numa grinalda de cobre líquido.
- Não podes contar a ninguém aquilo que vais ver hoje, Daniel - advertiu o meu pai. - Nem ao teu amigo Tomás. A ninguém."


Críticas de imprensa

"Apetece dizer que este romance é uma alegoria da espécie de amizade que alguns leitores mantêm com certos livros que parecem começar-lhes a descrever a vida (...) A ler com muita atenção."
Humberto brito, In Os Meus Livros, Novembro de 2004
"Este livro foi um dos acontecimentos de 2004, pela sua qualidade de escrita, pela história fantástica e, sobretudo, por ter sido um dos poucos livros que li duas vezes com gosto redobrado. A história tem tudo: mistério, morte, polícia, perseguição, sexo, amizade e política. Carlos Ruiz Zafrón consegue agarrar o leitor desde o primeiro instante e, nas últimas páginas, confrontamo-nos com o drama de querer chegar ao fim e, ao mesmo tempo, querer fazer render o livro. É, para mim, um dos livros de 2004."
Patrícia Reis, Mil Folhar (Público), 02 de Janeiro de 2005

"Embora com ecos superficiais de Mendoza e Pérez-Reverte, a voz de Ruiz Zafón é de uma originalidade à prova de bomba. A Sombra do Vento anuncia um fenómeno da literatura popular espanhola."
Sergio Vila-Sanjuán, La Vanguardia



Carlos Ruiz Zafón (Barcelona, 1964) é um escritor espanhol.

Em 1993 ganhou o prêmio Ebedé de literatura com seu primeiro romance, O Príncipe da Névoa, que vendeu mais de 150 mil exemplares na Espanha e foi traduzido em vários idiomas. Desde então, publicou quatro romances, sendo que os três primeiros foram dirigidos para um público mais jovem, e intitulam-se de El Palacio de la Medinoche, Las Luces de Semptiembre e Marina. Nos últimos anos transformou-se numa das maiores revelações literárias dos últimos tempos com A Sombra do Vento, finalista dos prêmios literários espanhóis Fernando Lara 2001 e Llibreter 2002. Em Portugal, essa obra foi premiada com as Correntes d'Escrita, do ano de 2006.

O autor vive atualmente em Los Angeles, onde escreve roteiros para o cinema e trabalha em um novo romance. Zafón colabora também nos jornais espanhóis La Vanguardia e El País. A Sombra do Vento já vendeu mais de 6,5 milhões de cópias no mundo

quarta-feira, janeiro 07, 2009

catiaborboleta - Setúbal, Portugal



Querida Snowshoee Um grande abraço e todas nossas boas vibrações para ti!

Catiaborboleta

Australia

No sábado passado fui ao cinema ver este filme, com a F. e J., no Almada Fórum, e gostamos bastante.. um filme muito bonito.


terça-feira, janeiro 06, 2009

Dia de Reis

O Dia de Reis, segundo a tradição cristã, seria aquele em que Jesus Cristo recém-nascido recebera a visita de "uns magos" que, segundo o hagiológio foram três Reis Magos, e que ocorrera no dia 6 de janeiro. A noite do dia 5 de janeiro e madrugada do dia 6 é conhecida como "Noite de Reis".

A data marca, para os católicos, o dia para a adoração aos Reis, que a tradição surgida no século VIII converteu nos santos Belchior, Gaspar e Baltazar. Nesta data, ainda, encerram-se para os católicos os festejos natalícios - sendo o dia em que são desarmados os presépios e por conseguinte são retirados todos os enfeites natalícios.

Cantar dos Reis

O cantar dos reis é uma antiga tradição celebrada no dia de Reis. Grupos chamados de "reiseiros", agrupavam-se conforme a categoria profissional para as celebrações: Viam-se troupes dos caixeiros, de limpadores de chaminés, de feirantes, de instrumentistas, de doutores, de moradores, e até de estrangeiros que invocavam os reis Magos. Durante a noite do dia 6 de Janeiro estes grupos percorriam as ruas da cidade dançando e tocando em procissões e cantavam às portas das casas.

Em 1882, pelos Reis, há noticia de que "nas ruas da cidade arruavam zabumbas, ferrinhos e as gaita-de foles anazaladas, exclusivas dos carrejões galegos".

Durante as celebrações tinha lugar uma pantomina e uma espécie de auto dos Reis.

Cantar as Janeiras

As Janeiras ou cantar as Janeiras é uma tradição em Portugal que consiste na reunião de grupos que se passeiam pelas ruas no início do ano, cantando de porta em porta e desejando às pessoas um feliz ano novo.

Ocorrem em Janeiro, o primeiro mês do ano. Este mês era o mês do deus Jano, o deus das portas e da entrada. Era o porteiro dos Céus e por isso muito importante para os romanos que esperavam a sua protecção. Era-lhe pedido que afastasse das casas os espiritos maus, sendo especialmente invocado no mês de Janeiro.
Era tradição que os romanos se saudassem em sua honra no começar de um novo ano e daí derivam as Janeiras.



A tradição geral e mais acentuada, é que grupos de amigos ou vizinhos se juntem, com ou sem instrumentos (no caso de os haver são mais comuns os folclóricos: pandeireta, bombo, flauta, viola, etc.). Depois do grupo feito, e de distribuidas as letras e os instrumentos, vão cantar de porta em porta pela vizinhança.

Terminada a canção numa casa, espera-se que os donos tragam as janeiras (castanhas, nozes, maçãs, chouriço, morcela, etc. Por comodidade, é hoje costume dar-se chocolates e dinheiro, embora não seja essa a tradição).

No fim da caminhada, o grupo reúne-se e divide o resultado, ou então, comem todos juntos aquilo que receberam.

As músicas utilizadas, são por norma já conhecidas, embora a letra seja diferente em cada terra.

Letra

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Três Reis Magos

Os Três Reis Magos ou simplesmente Magos, Melchior, Baltazar e Gaspar, são personagens da narrativa cristã que visitaram Jesus após seu nascimento (Evangelho de Mateus). A Escritura diz uns magos, que não seriam, portanto, reis nem necessariamente três e, sim, talvez, sacerdotes da religião zoroástrica da Pérsia ou conselheiros. Como não diz quantos eram, diz-se três pela quantia dos presentes oferecidos.

Talvez fossem astrólogos ou astrônomos, pois, segundo consta, viram uma estrela e foram, por isso, até a região onde nascera Jesus, dito o Cristo. Assim os magos sabendo que se tratava do nascimento de um rei, foram ao palácio do cruel rei Herodes em Jerusalém na Judéia. Perguntaram eles ao rei sobre a criança. Este disse nada saber. Herodes alarmou-se e sentiu-se ameaçado, e pediu aos magos que, se o encontrassem, falassem a ele, pois iria adorá-lo também, embora suas intenções fossem a de matá-lo. Até que os magos chegassem ao local onde estava o menino, já havia se passado algum tempo, por causa da distância percorridas, assim a tradição atribuiu à visitação dos Magos o dia 6 de janeiro.

A estrela, conta o evangelho, os precedia e parou por sobre onde estava o menino Jesus. "E vendo a estrela, alegraram-se eles com grande e intenso júbilo" (Mt 2, 10). "Os Magos ofereceram três presentes ao menino Jesus: ouro, incenso e mirra, cujo significado e simbolismo espiritual é, juntamente com a própria visitação dos magos, ser um resumo do evangelho e da fé cristã, embora existam outras especulações respeito do significado das dádivas dadas por eles. O ouro pode representa a realeza (além providência divina para sua futura fuga ao Egito, quando Herodes mandaria matar todos os meninos até dois anos de idade de Belém). O incenso pode representar a fé, pois o incenso é usado nos templos para simbolizar a oração que chega a Deus assim como a fumaça sobe ao céu (Salmos 141:2). A mirra, resina antiséptica usada em embalsamamentos desde o Egito antigo, nos remete ao gênero da morte de Jesus, o martírio, sendo que um composto de mirra e aloés foi usado no embalsamamento de Jesus (João 19: 39 e 40), sendo que estudos no Sudário de Turim encontraram estes produtos.



"Entrando na casa, viram o menino (Jesus), com Maria sua mãe. Prostando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra." (Mt 2, 11).

"Sendo por divina advertência prevenidos em sonho a não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra" (Mt 2, 12). Nada mais a Escritura diz sobre essa história cheia de poesia, não havendo também quaisquer outros documentos históricos sobre eles.

Devemos aos Magos a tradição de trocar presentes no Natal. Dos seus presentes dos Magos surgiu essa tradição em celebração do nascimento de Jesus. Em diversos países a principal troca de presentes é feita não no Natal, mas no dia 6 de janeiro, e os pais muitas vezes se fantasiam de reis magos.

A melhor descrição dos reis magos foi feita por São Beda, o Venerável (673-735), que no seu tratado “Excerpta et Colletanea” assim relata: “Melchior era velho de setenta anos, de cabelos e barbas brancas, tendo partido de Ur, terra dos Caldeus. Gaspar era moço, de vinte anos, robusto e partira de uma distante região montanhosa, perto do Mar Cáspio. E Baltazar era mouro, de barba cerrada e com quarenta anos, partira do Golfo Pérsico, na Arábia Feliz”.

Quanto a seus nomes, Gaspar significa “Aquele que vai inspecionar”, Melchior quer dizer: “Meu Rei é Luz”, e Baltazar se traduz por “Deus manifesta o Rei”.

Como se pretendia dizer que representavam os reis de todo o mundo, representando as três raças humanas existentes, em idades diferentes. Assim, Melchior entregou-Lhe ouro em reconhecimento da realeza; Gaspar, incenso em reconhecimento da divindade; e Baltazar, mirra em reconhecimento da humanidade.

A exegese vê na chegada dos reis magos o cumprimento a profecia contida no livro dos Salmos (Sl. 71, 11): “Os reis de toda a terra hão de adorá-Lo”.

Na antigüidade, o ouro era um presente para um rei, o olíbano (incenso) para um sacerdote, representando a espiritualidade e a mirra, para um profeta (a mirra era usada para embalsamar corpos e, simbolicamente, representava a imortalidade).

Durante a Idade Média começa a devoção dos Reis Magos (e que são "baptizados"), tendo as suas relíquias sido transladadas no séc. VI desde Constantinopla (Istambul) até Milão. Em 1164, com os três já a serem venerados como santos, estas foram colocadas na catedral de Colônia, em Colônia (Alemanha), onde ainda se encontram.

Em várias partes do mundo, há festas e celebrações em honra aos Magos. Com o nome de Festa de Santos Reis há importantes manifestações culturais e folclóricas no Brasil.



Estátua dos Reis Magos (no Pórtico dos Reis Magos) na entrada de Natal, capital do Rio Grande do Norte (Brasil).

Animais em Origami

Ontem ao final da tarde fui à papelaria, aqui no Montijo, comprar papel de lustro (conselho das minhas queridas amigas do Bookcrossing ;), bigada) e quando cheguei a casa andei entretida a fazer estes animais em origami.. não estão muito bem.. mas tb não estão assim tão malllll, lol ;D!


Aqui está o Cão!



Este é o Gato!!



Olá eu sou o Pinguim!!!



Um Tsuro.




E Muitos Tsuros :D!!!